Camilo Lourenço
Camilo Lourenço 21 de junho de 2012 às 23:30

Baixe os impostos, Pedro...!

O país precisa de crescimento. Deve ser uma daquelas verdades que todos, da Esquerda à Direita, partilham. Uma das formas de lá chegar é restabelecer a saúde do sistema financeiro (os bancos não emprestam porque não têm dinheiro), porque sem investimento é difícil estimular a economia.
O país precisa de crescimento. Deve ser uma daquelas verdades que todos, da Esquerda à Direita, partilham. Uma das formas de lá chegar é restabelecer a saúde do sistema financeiro (os bancos não emprestam porque não têm dinheiro), porque sem investimento é difícil estimular a economia. Só que a estabilização do sistema financeiro não passa apenas por capitalizar os bancos, mas pela criação de um sistema de garantias que se estenda a toda a zona Euro. Coisa que vai levar tempo.

Vista por este prisma, a economia portuguesa está num beco sem saída: as empresas continuam a fechar (também por falta de crédito) e os novos investimentos são escassos. O que fazer para sair deste círculo, aparentemente, vicioso? Estimular o investimento estrangeiro. Se perguntarmos a vários especialistas como é que isto se faz, cada um deles trará uma lista infindável de medidas...

Mas há uma que teria um efeito imediato no investimento: a baixa do IRC (a taxa ultrapassa hoje os 27,5%).O IRC pesa cerca de 15% na receita total. Se o Governo a baixasse para 10% a perda seria significativa tendo em conta o défice orçamental. Mas a redução não seria aplicável às empresas já estabelecidas; apenas aos novos investimentos. O tratamento fiscal até poderia ser diferenciado tendo em conta o impacte do investimento: empresas exportadoras, criadoras de emprego, etc.

É uma injustiça para quem já está estabelecido? Sim. Mas isso resolve-se. Basta criar um calendário plurianual, e progressivo, de ajustamento do IRC para as outras empresas (dependente da redução do défice público). Coisa que teria uma vantagem: eliminar o carácter imprevisível da lei fiscal em Portugal.

A sua opinião47
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
asCetat7bk9y 26.11.2016

http://buy-augmentin.us/ - buy augmentin http://atenolol-online.xyz/ - atenolol 75 mg http://advairgeneric.in.net/ - advair generic http://price-of-levitra.party/ - levitra 100mg http://doxycycline100mgacne.gdn/ - doxycycline 100mg acne

asCetak4g8bb 26.11.2016

http://sildenafil-citrate.gdn/ - sildenafil citrate http://clindamycingel.us/ - clindamycin topical solution http://prednisolone-5mg.party/ - prednisolone 5 mg http://doxycycline-100mg-acne.top/ - doxycycline http://tadalafilgeneric.review/ - tadalafil online

Anónimo Há 3 semanas

Qual seriam as consequencias de tal ato?
Alguém sabe?
Uma das coisa que admiro em si,Dr.Camilo é o bom senso, essa opinião de baixem os impostos às novas empresas...No minimo é estranho vindo da sua pessoa! Fico mais descansado por ser somente um artigo de opinião!

Paulo Há 3 semanas

Caro Camilo, não sou economista e admiro muito os seus artigos porque faz por explicar a economia a não-economistas. Li este artigo e gostaria de ter a sua opinião porque uma garota de 12 anos fala de termos que não conheço e com uma certeza que pode enganar. Obrigado.

ver mais comentários
pub
pub
pub