Raquel Godinho
Raquel Godinho 05 de agosto de 2018 às 19:00

China continua a pagar a factura da guerra 

O mercado accionista chinês continua a ser penalizado pelas tensões comerciais com os Estados Unidos. E o índice de Xangai regista um dos piores desempenhos, a nível mundial desde o início do ano, segundo a Bloomberg.

Agora, chega outra má notícia. É que a bolsa da China perdeu o segundo lugar, a nível mundial, em termos de valor de mercado.

 

Depois da forte queda registada na sessão de quinta-feira, a bolsa chinesa passou a estar avaliada em 6,09 biliões de dólares, o que compara com os 6,17 biliões de dólares da bolsa do Japão, revelam os dados da Bloomberg. Pelo contrário, os Estados Unidos continuam a ser a maior bolsa do mundo, com uma capitalização bolsista acima de 31 biliões de dólares.

 

A China tinha superado o Japão no final de 2014 e, uns meses mais tarde, atingiu o valor mais elevado de sempre, nos 10 biliões de dólares. Mas os últimos meses têm sido desafiantes para as acções chinesas (o índice cai cerca de 17%) e também para a moeda, essencialmente devido à guerra comercial com os Estados Unidos.

 

"Perder o lugar para o Japão é um prejuízo causado pela tensão comercial", explica Banny Lam, responsável pelo "research" da CEB International Investment, à Bloomberg. Mais uma factura da disputa com Donald Trump.

pub