Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Camilo Lourenço
Camilo Lourenço 15 de novembro de 2017 às 21:30

Como endividar os seus filhos, cortesia de Mário Nogueira

O primeiro-ministro anunciou ao país que acolher as reivindicações dos professores custaria mais de 600 milhões de euros. E que o Governo não o poderia fazer porque tem um custo incomportável para o Orçamento.

No dia seguinte (ontem), o sindicalista-que-há-muito-tempo-não-é-professor, Mário Nogueira, desfez-se em desmentidos: que 600 milhões que nada!, afiançou, pedindo a António Costa para não "manipular

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais
A sua opinião38
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas

COM EXCEPÇÃO DAQUELES QUE ESTÃO MAIS RICOS, TODOS NÓS FOMOS DEFRAUDADOS COM A TROIKA E COM OS GOVERNOS PS/PSD/CDS DOS ÚLTIMOS 10 ANOS.
OS PROFESSORES SÃO MAIS UM GRUPO QUE ESTÁ INCLUÍDO NESTA SITUAÇÃO E NÃO PODEM SER COMPENSADOS COMO SE NADA SE TIVESSE PASSADO, ISTO É, O APAGÃO DE QUE FALAM, TAMBÉM AS OUTRAS CLASSES O TIVERAM.

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Ironia à parte, a solução para o país era ser tudo público. Tudo com ordenados equiparados sem desfasamentos. Ganhava-se bem, não haveria desemprego (no setor público não há despedimentos) e viveríamos todos felizes e contentes. Só era necessário uma fábrica de canas de pesca. Com a imensidão de costa que temos, ninguém morreria à fome.

Concordo plenamente Há 4 semanas

Professor ou manipulador? Este Mário Nogueira deve pensar que estamos no paraíso. Claro que não quer trabalhar, prefere andar a pregar por caminhos intoleráveis sem sentido.

Hã? Há 4 semanas

Não foram os PAF que em plena crise enfiaram 353 Milhões em colégios privados com oferta pública do outro lado da rua?

judas a cagar no deserto Há 4 semanas






Esta cena dos congelamentos de carreiras já vem à bué de anos, do tempo em que o PM era do PS, um tal de Sócrates.

Recordam-se ?




ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub