Jorge Fonseca de Almeida
Jorge Fonseca de Almeida 29 de Novembro de 2016 às 21:05

"Content marketing"

O "content marketing" ou, em português, o marketing dos conteúdos é a atividade de produção de conteúdos escritos, visuais ou áudio com vista a atrair e fidelizar uma audiência bem definida com o objetivo de lhes vender um produto ou serviço.

Os conteúdos podem ser relacionados com toda uma atividade, ser de carácter generalista ou incidir apenas sobre o produto ou serviço em questão.

 

Alguns exemplos reais. Uma marca de tratores norte-americana edita uma revista sobre agricultura fazendo chegar aos seus potenciais clientes ideias e técnicas sobre uma variedade de áreas que não envolvem diretamente os seus produtos. Na mesma categoria, conteúdos relacionados com uma atividade ou setor, encontra-se um operador turístico que mantém um sítio da internet com conselhos sobre viagens, ou uma empresa de caldos aromáticos que publica livros de receitas.

 

Ainda recordo um documentário que vi na escola preparatória sobre esquimós, um filme a preto e branco, muito informativo, realista, que era patrocinado por uma marca suíça de lápis de cor. Um conteúdo adequado à idade, sem ser infantil, e que em nada se relacionava com o produto. O facto de mais de 40 anos depois ainda o ter vivo na memória mostra a sua extraordinária eficácia.

 

Note-se que esta é uma área em que as associações empresariais setoriais podem ser particularmente úteis na medida em que se constituam agentes promotores de "content marketing" que sirva o conjunto das empresas associadas. A Apcor, associação portuguesa da cortiça, tem desenvolvido alguma informação que permite a setores da população e da indústria perceber melhor a utilidade da cortiça fora da tradicional utilização para rolhas de garrafas de bebidas alcoólicas.

 

Hoje o "content marketing" passa essencialmente pelas redes sociais, pelos motores de busca, em suma, pela internet. Mas atenção, primeiro é preciso definir os conteúdos que se pretende difundir e só depois identificar os meios mais adequados para os fazer chegar ao consumidor. O contrário será um erro dramático. Os meios tradicionais podem ser os mais adequados para muitos conteúdos.

 

As empresas portuguesas raramente usam o "content marketing" desperdiçando um potente instrumento de comunicação, atração e fidelização dos seus consumidores. Naturalmente, os seus concorrentes externos usam-na contra eles. A falta de visão e o desconhecimento desta ferramenta estão por trás desta lacuna.

 

Muitas associações empresariais, do vestuário, dos materiais da construção, do vinho, do leite e de vários outros setores muito teriam a ganhar, no curto, médio e longo prazo, com uma utilização mais sistemática e profissional do marketing de conteúdos. Fica a sugestão.

 

Economista

Este artigo está em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

 

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar