Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 02 de janeiro de 2018 às 21:06

Dívida portuguesa é campeã. Vai ao bi? 

A dívida portuguesa viveu um ano dourado. A taxa de referência a dez anos registou um dos melhores desempenhos na Europa, apenas superada pela Grécia.

Segundo a Bloomberg, a dívida portuguesa rendeu, no último ano, 13,8%, suportada pelos bons resultados entregues pelo país na consolidação orçamental e pela recuperação da economia portuguesa. Esta evolução tem-se reflectido em avaliações positivas por parte das agências de "rating", que retiraram Portugal de um grau considerado especulativo.

Apesar de as "yields" terem entrado em 2018 com o pé esquerdo, com a taxa a dez anos a superar os 2%, depois de semanas a negociar em torno de 1,8%, os analistas estão confiantes de que o novo ano trará mais boas notícias para a dívida portuguesa. Mas os investidores poderão ter de esperar por Abril. É que, de acordo com o calendário divulgado pela agência Moody's, a entidade apenas irá avaliar a dívida portuguesa nesse mês. Ocasião na qual os bancos de investimento acreditam que a agência de "rating" irá seguir o exemplo da Fitch e da Standard & Poor's e tirar Portugal de um grau considerado "lixo". Será suficiente para dar o bicampeonato à dívida portuguesa?

 

Jornalista 

pub