Fernando  Sobral
Fernando Sobral 10 de Novembro de 2016 às 09:43

Donald Trump ganhou.E agora, América?

Contra muitas previsões Donald Trump venceu as presidenciais americanas, derrotando a favorita Hillary Clinton. E agora, o que é que se segue?

No "Guardian", Jonathan Freedland, escreve: "Pensávamos que os EUA dariam um passo atrás à beira do precipício. (…) Hoje os EUA ficam não apenas como uma fonte de inspiração para o resto do mundo mas como uma fonte de medo. Em vez de elegerem a sua primeira mulher como presidente, deram o poder indeterminado do mais alto posto a um homem que revela a sua própria ignorância, racismo e misoginia. Os republicanos não apenas ganharam a presidência. Ganharam também a Casa dos Representantes e muito do Senado". Receio na Europa? Muito. E nos EUA? Peter Baker, no "New York Times", escreve: "Pela primeira vez desde antes da II Guerra Mundial, os americanos escolheram um presidente que prometeu reverter o internacionalismo praticado pelos seus antecessores de ambos os partidos e construir paredes físicas e metafóricas. A vitória de Trump trará uma América mais focada nos seus assuntos deixando o mundo a tomar contar de si próprio. (…) O sucesso de Trump poderá alimentar os movimentos populistas, nacionalistas e de fecho de fronteiras já tão evidentes na Europa e que se espalharão a outras partes do mundo". Mais: "Para a Europa e para a Ásia poderá reescrever as regras das alianças modernas, acordos comerciais e ajuda externa".

No "Washington Post", David Ignatius olha para a política externa: "Na Europa a vitória de Trump reforçará quase de certeza a tendência para políticos expressarem pontos de vista de extrema-direita e nacionalistas similares. O avatar deste neo-nacionalismo foi a vitória surpreendente dos apoiantes do Brexit no referendo de Junho na Grã-Bretanha, e há movimentos comparáveis na França, Alemanha, Itália e Espanha. Trump ainda terá de decidir se vai apoiar esses movimentos que podem desestabilizar a Europa". Que acontecerá?

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub