Fernando Ilharco
Fernando Ilharco 20 de Outubro de 2016 às 19:31

Duas mentalidades

Simplificando, há duas mentalidades. Uma leva ao êxito; a outra, ao insucesso. A primeira assenta na aprendizagem. A segunda, na obsessão em não cometer erros.

A mentalidade que facilita o sucesso não é focada no sucesso, mas na aprendizagem, na adaptação e na mudança. Trata-se de uma mentalidade de progresso, de desenvolvimento e crescimento. A mentalidade que dificulta o êxito, por seu lado, foca directamente o sucesso e preocupa-se em evitar erros, preocupa-se com os julgamentos e as avaliações dos outros. É uma mentalidade estática, fixa naquilo que somos e que evita a todo o custo que as coisas corram mal. E isto não ajuda o sucesso, refere Carol Dweck, da Universidade de Stanford.

 

A mentalidade fixa - que afecta muitos de nós, mas que pode ser ultrapassada - é a crença que cada um é como é, que as qualidades e os defeitos são características fixas, que não mudam ao longo da vida e que é responsabilidade de cada um tirar o melhor partido possível de quem é. Para esta mentalidade o grande desafio é provar aos outros e a nós mesmos que temos qualidade, que somos bons e que vencemos. Acaba mal, porque ninguém vence sempre.

 

A mentalidade fixa abana com o insucesso. A pessoa vê ser posto em causa, não esta ou aquela tarefa, mas ela mesma, quem ela é, as suas capacidades e qualidades. Para a mentalidade fixa, um insucesso pode ser arrasador... Falhei… e a suspeita cresce… "Talvez não tenha a qualidade que pensava…" Mas depois vem o pior. A mentalidade fixa tende a concluir que o melhor é não arriscar, defender-se e jogar pelo seguro. É uma atitude que não ajuda a melhorar e a ter sucesso.

 

A mentalidade de desenvolvimento, que ajuda a ter sucesso, por outro lado, assenta na crença que as pessoas mudam, aprendem e melhoram. Acredita que qualquer um pode melhorar as capacidades e o desempenho, se trabalhar para isso e se se esforçar. Para esta mentalidade, o insucesso é importante. É um desafio, uma oportunidade para aprender. Para quem tem mentalidade de progresso, os sucessos ou os insucessos são transitórios. O desafio é melhorar e aproveitar as oportunidades.

 

Mas a mentalidade não é tudo, obviamente. Podemos acreditar na melhoria e na aprendizagem, mas não nos esforçarmos. E podemos ter mentalidade fixa e conseguir vencer. Aliás, a crença de que somos os melhores pode facilitar que as coisas corram bem. O problema é essa crença assentar na ideia das capacidades inatas e não no esforço, na aprendizagem e na melhoria. Se acreditarmos que temos uma espécie de direito a ganhar… um dia vai correr mal. Não por perdermos, mas por a derrota colocar em causa aquilo que acreditamos ser. Se pelo contrário, acreditarmos que vamos vencer porque nos preparámos, porque nos esforçámos, porque aprendemos, melhorámos e estamos confiantes, então as coisas tendem a correr bem; mesmo que não ganhemos.

 

Acreditar na aprendizagem e na melhoria é o caminho certo. É o primeiro passo para o êxito.

 

Professor na Universidade Católica Portuguesa

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar