Tiago Freire
Tiago Freire 06 de Outubro de 2016 às 09:48

EUA e o debate que ninguém quer realmente ver

A corrida presidencial norte-americana está tão polarizada pelas superestrelas Hillary Clinton e Donald Trump que ninguém está a prestar atenção aos candidatos a vice-presidente.


As audiências esperadas para o único debate entre o democrata Tim Kaine e o republicano Mike Pence eram fracas, ao nível das piores em várias décadas. Não porque a disputa não esteja competitiva - as sondagens continuam muito apertadas -, mas porque os ataques entre Trump e Clinton têm sido tão violentos que os dois têm concentrado todas as atenções.

O que não é necessariamente bom, como lembra Todd S. Purdum, no Politico: "Trump seria o presidente mais velho a ser inicialmente eleito, e Clinton a segunda mais velha, portanto, em teoria, talvez nunca tenha sido tão possível que um vice-presidente venha a ter de assumir o lugar do presidente."

Kaine e Pence são considerados políticos experientes em vários cargos públicos e mais sólidos em termos programáticos do que os "cabeças-de-cartaz", o que é evidente em relação a Trump. E, para os analistas, a maior responsabilidade cai sobre os ombros de Mike Pence. É que Clinton tem a experiência da Casa Branca e uma longa carreira política; já Trump é Trump, pelo que o seu vice-presidente serve como um garante de estabilidade e respeitabilidade de que a candidatura de Clinton não necessita tanto.

Leigh Ann Caldwell, na NBC, lembra que estamos longe de debates com figuras conhecidas como Sarah Palinou Dick Cheney. "Muitos votantes de 2016 nunca ouviram falar dos números dois de Clinton ou de Trump", admite.

Já Sahil Kapur, na Bloomberg, foca o papel que os vices podem desempenhar nas próximas aparições públicas. "Duas das figuras políticas americanas mais bem educadas têm uma rara oportunidade de brilhar e servir como testemunha abonatória dos seus profundamente impopulares candidatos." É que há algo que as sondagens também mostram: mais do que apoio incondicional, aquilo que está a mover os eleitores é o ódio contra o candidato do lado oposto.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO À FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas


PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO À FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

pub
pub
pub