Rui Barroso
Rui Barroso 15 de fevereiro de 2017 às 19:46

Footsie a caminho de ter apenas sotaque britânico

A bolsa de Londres é conhecida por atrair empresas dos quatro cantos do mundo por dar acesso a uma base de investidores bastante alargada geograficamente.

Mas os principais índices da bolsa londrina, como o Footsie, arriscam ficar bem menos cosmopolitas e apenas com sotaque britânico. A entidade que gere a bolsa de Londres pondera avançar com uma regra para que apenas empresas do Reino Unido possam ser seleccionadas nos seus índices de referências. Essas eventuais alterações estão em processo de consulta pública e terão em conta o local da sede das empresas, quais os activos e a origem das receitas das cotadas e qual o mercado principal em que negoceiam. Caso as regras avancem, há algumas cotadas do FTSE 100 que deixarão de integrar o índice de referência do mercado londrino. Seriam os casos da construtora irlandesa CRH, da mineira mexicana Fresnillo e da agência de viagens germânica, segundo a Bloomberg. Noutros dos principais índices muitas outras empresas seriam excluídas. Afinal, o que pode valer mais? Um índice que sirva apenas de montra à economia de um país ou um índice que reforça estatuto a nível global por incluir também empresas estrangeiras que escolheram esse mercado para negociar?

 

Jornalista

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar