Fernando  Sobral
Fernando Sobral 03 de fevereiro de 2017 às 09:31

François Fillon: uma semana de revelações e desmentidos

François Fillon, que todos viam como o candidato que, à direita, poderia derrotar Marine Le Pen, vai-se desgastando com as revelações sobre os alegados pagamentos à sua mulher, Penelope, por um emprego fictício como colaboradora parlamentar.

Os desmentidos parecem pouco consistentes e assim vai-se falando na possibilidade de ele vir a desistir. O que relança o debate sobre as presidenciais francesas. No Les Echos, Cecile Cornudet escreve: "Fevereiro é habitualmente o mês da cristalização das intenções de voto: desta vez inicia-se com uma deflagração. O candidato mais legítimo possível, François Fillon, eleito há apenas dois meses nas primárias, ameaça explodir em pleno voo. Agora tudo parece possível. Incluindo uma vitória de Marine Le Pen."

Na revista L'Obs, Baptiste Legrand questiona-se: "E se François Fillon fosse um chiraquiano (sucessor de Chirac)? O candidato dos republicanos reteve nestes últimos dias um dos hábitos preferidos do antigo Presidente da República: o de supermentiroso. Fillon bem pode denunciar uma operação de 'calúnia' visando abater a sua candidatura, mas a sua defesa é calamitosa. Às acusações de empregos fictícios, responde com aproximações. Alterou a cronologia. Mesmo com a melhor vontade do mundo é difícil acreditar na sua versão dos factos." Ou seja, Fillon afunda-se cada vez que fala. No L'Express, Christophe Barbier escreve: "François Fillon parece querer destruir a personagem que compôs durante as primárias. A força tranquila tornou-se agressividade militante, a comunicação simples transforma-se em mutismo vago ou em frases calamitosas." Ou seja, estamos a assistir àquilo que não se julgava possível: Fillon, o candidato da direita, pode muito bem esvair-se e com ele o sonho de um bloco que queria ser alternativa à esquerda e à extrema-direita.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub