Camilo Lourenço
Grande Draghi
04 Maio 2012, 00:32 por Camilo Lourenço | camilolourenco@gmail.com
Enviar por email
Reportar erro
0
Mario Draghi tirou as esperanças aos que pensavam que o Banco Central Europeu ia propor um pacto para o crescimento apoiado em expansionismo orçamental. O líder do BCE foi taxativo, lembrando que "não há contradição entre pacto de crescimento e pacto orçamental", contrariando a interpretação feita por analistas na semana passada, quando falou num "pacto para o crescimento".
Mario Draghi tirou as esperanças aos que pensavam que o Banco Central Europeu ia propor um pacto para o crescimento apoiado em expansionismo orçamental. O líder do BCE foi taxativo, lembrando que "não há contradição entre pacto de crescimento e pacto orçamental", contrariando a interpretação feita por analistas na semana passada, quando falou num "pacto para o crescimento".

Foi uma clarificação importante. Para desfazer dúvidas quanto a uma cedência do BCE às teses de François Hollande, que tem proposto coisas que violam o Tratado da União. Hollande propõe, por exemplo, o financiamento dos Estados pelo BCE, operação proibida pelo Tratado e pelos estatutos do BCE (aliás, o financiamento dos Estados já nem sequer era permitido nos estatutos dos bancos centrais do SME, o precursor do Euro …). Mas as declarações de Draghi são importantes por outra razão. Elas explicam quais são os verdadeiros "drivers" de um crescimento económico saudável: as reformas estruturais, onde se incluem mudanças no mercado de trabalho (flexibilizar as leis laborais) e alterações no mercado de produto (a Europa, com poucas excepções, tem um problema de concorrência).

As suas declarações vão merecer censura dos que defendem que a economia não arranca sem injecção de fundos públicos. Na Europa e nos EUA (Krugman, então, vai mandar-se ao ar…). Mas Draghi fez muito bem: estimular o crescimento com despesa pública só servirá para agravar as finanças dos países com finanças públicas mais desequilibradas (neste momento só a Alemanha o pode fazer). O que significa agravar o problema: no curto prazo haverá melhorias, mas no médio prazo os problemas regressam. Com custos agravados.

camilolourenco@gmail.com
Enviar por email
Reportar erro
0
Seguir Autor