Raquel Godinho
Raquel Godinho 31 de julho de 2018 às 19:15

Há cada vez mais agoirentos de serviço

A época de apresentação de resultados do segundo semestre até começou bem. E o balanço continua a ser positivo, uma vez que a grande maioria das empresas tem reportado números acima das estimativas dos analistas.

Mas alguns nomes sonantes, como o Facebook e o Netflix, desiludiram os investidores. E acabaram por ter reflexo no sentimento do mercado. Prova disso é que, nos últimos dias, alguns bancos de investimento têm vindo a alertar os seus clientes para a possibilidade de novas quedas nos mercados accionistas.

Na semana passada, o Goldman Sachs publicou uma nota de investimento na qual alertava que um novo "sell-off", à semelhança daquele que ocorreu no início de Fevereiro, poderia estar perto. Agora, é a vez de o Morgan Stanley antecipar uma correcção.

Estes analistas defendem que "a pressão vendedora só agora começou e esta correcção será a maior desde a que aconteceu em Fevereiro". Para o banco, esta correcção nas bolsas "pode muito bem ter um impacto negativo mais acentuado nas carteiras dos investidores, uma vez que esperamos que esteja centrada nas tecnológicas, bens de consumo e empresas de pequena capitalização". Aumentam os agoirentos de serviço. Mas será que têm razão?

 

Jornalista

pub