Ulisses Pereira
Ulisses Pereira 23 de janeiro de 2017 às 10:13

Interrogue-se a si próprio

Se vir um beco sem saída, há sempre tempo para mudar de direcção. Avalie-se. Sempre.
A maior parte dos investidores utiliza a maior parte do seu tempo dedicado aos mercados a analisar as empresas, a estudar gráficos, a ler relatórios e análises. Mas quanto tempo investem a estudarem-se a si próprios, analisando não apenas os seus resultados mas sobretudo os seus desempenhos e as suas forma de negociarem?

Muitos investidores perdem dinheiro em Bolsa não por uma má análise micro e macroeconómica mas, sobretudo, pela sua incapacidade de terem um método, de serem disciplinados e de controlarem as suas emoções. Avaliam com frequência a sua rentabilidade, mas quantas vezes avaliam a forma como estão a comportar-se nesta selva dos mercados financeiros?

Lanço aqui o desafio de responderem, a vocês mesmo, às questões aqui colocadas. As vossas respostas irão, certamente, fazer-vos reflectir sobre o caminho que estão a trilhar como investidores.

Abre posições porque surgem claras oportunidades no mercado ou porque isso lhe dá o prazer e a adrenalina que lhe fazem falta na sua vida?

Depois de alguns negócios maus surgem, quase sempre, mais negócios maus? E, se isso acontece, será pelo desejo de vingança dos mercados, querendo recuperar furiosamente aquilo que perdeu?

Antes de comprar ou vender uma acção, anota por que o fez, de forma a poder mais tarde avaliar-se?

O que é que o faz ser melhor (ou tão bom) investidor do que aqueles que têm sucesso? Por que acha que pode ter sucesso nos mercados quando a maioria não tem?

Quando compra uma acção, tem claramente definido qual o limite máximo que pode perder nela?

Quais são as suas regras de "Money management"? (Se não compreender esta pergunta, corra rapidamente para estudar sobre o tema!)

Depois do mercado fechar -ou antes dele abrir - quantas horas dedica a analisar oportunidades de negócio e a avaliar o que fez bem e o que fez mal, tentando encontrar padrões do seu comportamento onde é bem sucedido e outros em que normalmente incorre em perdas?

Deixa as posições perdedoras demasiado tempo abertas porque acredita mais em si próprio do que nos mercados?

Fecha demasiado rápido as posições ganhadoras porque a pressa de contabilizar um sucesso é grande?

A sua ligação aos mercados faz de si uma pessoa mais feliz e realizada ou é mais vezes invadido por sentimentos como a angústia, a raiva e o desânimo?

Conseguiria estar um ano inteiro sem negociar?

Estou certo que, depois de responder a estas questões, perceberá melhor o caminho que está a percorrer nos mercados. E se vir um beco sem saída, há sempre tempo para mudar de direcção. Avalie-se. Sempre.


Nem Ulisses Pereira, nem os seus clientes, nem a DIF Brokers detêm posição sobre os activos analisados. Deve ser consultado o disclaimer integral aqui


Analista Dif Brokers
ulisses.pereira@difbroker.com

Comente aqui o artigo



pub
Saber mais e Alertas
pub
pub