Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 08 de janeiro de 2018 às 20:32

Investidores confiam cada vez mais nos robôs 

Há cada vez mais dinheiro a ser gerido por robôs. Os activos geridos por fundos que recorrem a estratégias quantitativas, ou seja, cujas decisões de investimento são tomadas com base em modelos algorítmicos, transpuseram uma nova barreira.

Pela primeira vez na história, os "hedge funds" quantitativos superaram um bilião de dólares de activos sob gestão, avança o Financial Times, que cita dados da HFR. Segundo a mesma notícia, o montante gerido por estes fundos era de 940 mil milhões de dólares, no final de Outubro de 2017, tendo registado subscrições elevadas no último trimestre do ano. Estes produtos têm evidenciado um forte crescimento ao longo dos últimos anos, impulsionados pelos bons resultados pelas estratégias com base em algoritmos. Perante estes resultados, muitos "hedge funds" tradicionais estão a contratar cientistas e programadores para melhorarem os seus modelos quantitativos. "Ao longo da última década os resultados do investimento quantitativo sistemático têm sido inegáveis", adiantou Philippe Jordan, presidente da CFM, um fundo quantitativo. E os investidores parecem convencidos de que estas estratégias compensam. São cada vez mais os que preferem confiar as suas poupanças a robôs.

 

Jornalista 

pub