Alexandre Real
Alexandre Real 05 de fevereiro de 2017 às 18:15

Liderar através do Rosenthal effect

No início do cristianismo, surgiu em Roma um poeta chamado Ovídio que ficou célebre ao escrever sobre um escultor chamado Pigmaleão.

Este escultor apaixonou-se de tal forma pela sua própria estátua que a deusa Vénus humanizou-a, dando-lhe vida real. 

 

No início do século xx, George Bernard Shaw, famoso dramaturgo e romancista e um dos co-fundadores da notável universidade pública inglesa London School of Economics, criou uma peça teatral baseada na história de Pigmaleão (Pygmalion), que por sua vez inspirou um filme com o mesmo nome, um musical e um filme denominado "My Fair Lady". Entretanto este musical foi adaptado para Portugal por Filipe La Féria.

 

Nos anos sessenta do século xx, os psicólogos americanos de Harvard Robert Rosenthal e Lenore Jacobson elaboraram uma investigação muito interessante e recuperaram a figura de Pigmaleão.

 

O estudo consistiu num teste de QI (Quociente de Inteligência) a alunos do ensino primário no início do ano escolar, que por sua vez conforme os resultados iriam ser classificados confidencialmente entre os que tiveram um QI superior e os que tiveram um QI inferior.

 

Entretanto os professores foram avisados de que vinte por cento dos alunos tinham como resultado um QI excecionalmente alto e que estes teriam notas e classificações acima da média em relação aos outros colegas. Posteriormente foi divulgada a lista aos professores com os nomes dos vinte por cento mais inteligentes, mas os professores tinham de garantir que esta informação seria confidencial e que os alunos não poderiam ter acesso a essa listagem.

 

No final do ano, efetivamente estes vinte por cento de alunos obtiveram resultados acima da média. Os mesmos alunos repetiram o mesmo teste de QI e alcançaram melhores resultados do que no primeiro teste de QI.

 

No entanto, os investigadores tinham equivocado os professores no início do ano. A verdade é que a listagem dos vinte por cento melhores foi uma listagem completamente aleatória e não teve em consideração os melhores.

 

Então porque é que estes alunos obtiveram melhores resultados?

 

Robert Rosenthal e Lenore Jacobson concluíram que o facto de induzirem os professores com elevadas expetativas em relação àquele pequeno grupo contribui-o para que os professores fossem mais empenhados e encorajadores para com aquele grupo restrito. Também foi concluído que estes professores tiveram uma maior cumplicidade, afetividade e criaram um ambiente promotor de confiança para com estes alunos.

 

Posteriormente, estes mesmos investigadores concluíram que estes resultados obtidos no meio académico aplicavam-se na íntegra em ambiente empresarial e militar.

 

A psicologia apelidou este efeito de efeito Pigmaleão ou efeito Rosenthal, e tem como significado que quanto maiores as expetativas criadas em relação a uma pessoa melhor será o seu desempenho.

 

O efeito Pigmaleão ou efeito Rosenthal altera a perceção da realidade e a forma de como nos relacionamos com ela.

 

Neste sentido há que ter em atenção quando apresentarmos o nosso novo colaborador à equipa, é fundamental salientar e de forma positiva e entusiasta as suas qualidades.

 

O mesmo se aplica, aos líderes. Quando apresentarem a sua empresa ou equipa, é bom que enalteçam publicamente as mesmas, certamente obterão melhores resultados e um maior respeito por parte de todos os "stakeholders".

 

Gestor e professor universitário

 

Este artigo está em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar