Fernando  Sobral
Fernando Sobral 31 de julho de 2017 às 09:49

Loucuras na Casa Branca e o futuro do Obamacare

Partido Republicano está imerso no caos. O Senado rejeitou a revogação do Obamacare e isso teve que ver com o "não" de vários senadores republicanos, incluindo John McCain.

Donald Trump utilizou rapidamente o Twitter para dizer: "Três republicanos e 48 democratas deixaram ficar mal o povo americano." McCain, que fez do seu voto um mistério até ao último momento, entrou no Senado e disse aos jornalistas: "Vejam o espectáculo." E foi um espectáculo. John McCain viria mais tarde a explicar porque votou assim: "Desde o início acreditei que o Obamacare deveria ser rejeitado e substituído por uma solução que aumentasse a competição, baixasse os custos e aumentasse os cuidados de saúde para o povo americano. (…) Se a emenda deveria repelir alguma da legislação do Obamacare, não oferecia alternativas para reformar o nosso sistema de saúde e providenciar saúde acessível e de qualidade aos nossos cidadãos. (…) Devemos voltar à maneira correcta de legislar."

Como se já tudo não parecesse um hospício, o novo director de comunicação da Casa Branca, Anthony Scaramucci, fez umas declarações à New Yorker, que mostram o estado da situação. Algumas, por pudor, são irreproduzíveis (sobretudo as que dizem respeito a Steve Bannon). Mas outras são memoráveis. Sobre o chefe de gabinete de Trump, Reince Priebus: "Se quer divulgar alguma coisa, vai ser convidado a demitir-se." Sobre uma série de colaboradores: "Vão ser todos despedidos por mim. Despedi há uns dias um fulano. E vou despedir três ou quatro amanhã." Sobre o pandemónio, Dahlia Lithwick escreve na Slate: "Os senadores republicanos adoram o seu antigo colega Jeff Sessions. Se Trump o despedir, passarão finalmente a ter coluna vertebral?" Enquanto isso, joga-se aos números: durante algumas horas, devido à capitalização bolsista da Amazon, Jeff Bezos foi o homem mais rico do mundo, ultrapassando Bill Gates. Mas o valor das acções caiu e voltou tudo à "normalidade".
A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar