Fernando  Sobral
Fernando Sobral 06 de Dezembro de 2016 às 09:35

Matteo perde o referendo e demite-se. Itália perderá?

O primeiro-ministro italiano Matteo Renzi arriscou e perdeu. E acabou por se demitir.

O líder da Liga Norte, Matteo Salvini, reagiu: "Viva Trump, viva Putin, Viva Le Pen e viva a Liga!" Marine Le Pen não fez por menos: o eleitorado italiano repudiou a UE e Renzi. Sabem do que falam: 68% dos italianos foram às urnas, um resultado muito bom. Agora restam três hipóteses: ou o Presidente italiano volta a pedir a Renzi para formar novo governo ou prefere um executivo de transição até novas eleições. No El País, Rubén Amón escreve: "Renzi chegou ao poder sem passar pelas urnas e foi devorado por elas. Não só por ter sobrestimado a sua reputação entre os compatriotas, mas também por ter tentado fazer uma microrrevolução que nem sequer tinha o consenso no seu partido. Estamos na idade das pós-verdades. Que são as verdades como se sentem. Por isso Beppe Grillo disse para que se votasse com a barriga. E pela mesma razão a política arrisca-se a perder a sua capacidade civilizadora."

No Político/Europe, Ryan Heath avança: "Os italianos votaram para rejeitar a mudança. Deixar a Zona Euro é a maior mudança imaginável e não estava no voto. A resignação de Renzi não é um terramoto: Itália vai ter o seu 65.º governo desde 1945 - é gerível. Não que o futuro pareça brilhante: a inabilidade do país para se reformar e avançar resultou numa média de crescimento de 0,6% desde 1960." No Daily Telegraph, Peter Foster analisa de outra forma: "Era uma reforma destinada a dinamizar a máquina política italiana e a aumentar a estabilidade num país que teve mais de 60 governos desde a II Guerra Mundial. (…) No fim acabou por ser um referendo à popularidade do jovem primeiro-ministro Matteo Renzi e o seu recorde de tempo no Governo numa altura em que Itália está furiosa e profundamente dividida." Resta saber agora como vai reagir a União Europeia.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana


FIDEL - O HERÓI DA ESQUERDA NÃO PASSA DE UM RELES CRIMINOSO.

- Mandou matar mais de 9000 cubanos (que se saiba).

- Roubou mais de 900 milhões de dólares ao povo cubano, para a sua fortuna pessoal e da família (que se saiba).