Rui Barroso
Rui Barroso 31 de maio de 2017 às 21:09

Máximos são para vender e acumular dinheiro 

As bolsas americanas têm batido sucessivos máximos e na Europa as acções também vivem um "bull market" prolongado.

E apesar da baixa volatilidade sucedem-se os avisos de que os investidores poderão estara tomar os ganhos como garantidos, esquecendo-se de se preparar para dias mais difíceis nos mercados. O último alerta veio da Pimco. Os responsáveis da gestora de activos alertaram, numa nota citada pela Bloomberg, que "muitos participantes no mercado estão actualmente demasiado relaxados". E avisam que "se estão a construir riscos no médio prazo e que os investidores devem considerar utilizar as subidas cíclicas para começarem a acumular liquidez para empregar quando os mercados acabarem por corrigir". A Pimco alerta para a possibilidade de uma nova recessão, cenário a que atribui uma probabilidade de 70%. A isto junta-se a constatação da gestora de que praticamente todas as classes de activos têm actualmente rácios de avaliação 10% a 15% mais caros do que há um ano, o que indica que as boas notícias estão incorporadas nos preços. Já em relação às más notícias, o mercado parece ainda não querer saber, o que pode ser um sinal de que são necessárias cautelas redobradas na hora de investir.

 

Jornalista

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar