Rui Barroso
Rui Barroso 03 de setembro de 2017 às 15:49

Mercado lento trama investidores rápidos

São mais rápidos do que a própria sombra. E compram e vendem activos em milésimos de segundos. Mas os "traders" de alta frequência estão a fazer "sprints" em falso num mercado marcado pela baixa volatilidade.

Com os mercados sem grandes oscilações, as oportunidades para surfar o mercado antes da concorrência escasseiam. E isso nota-se na facturação das empresas de negociação de alta frequência, que desenvolvem complexos sistemas algorítmicos que executam ordens em milésimos de segundo para explorar ineficiências nos preços dos activos.

Segundo a consultora Tabb Group, citada pelo Business Insider, as receitas destas entidades são cada vez mais lentas. Em 2009 facturaram 7.200 milhões de dólares. No ano passado, não foram além de 1.100 milhões de dólares. E este ano a estimativa é que fiquem pelos 900 milhões de dólares.

A toada calma e de ganhos graduais dos mercados até pode ser uma espécie de benção para os investidores mais conservadores e focados no longo prazo. No entanto, para os Speedy Gonzalez dos mercados, a baixa volatilidade é quase como se tivessem sido apanhados pelo gato Sylvester. Mas já pensam em estratégias para escapar, mudando o foco da rapidez de execução para a capacidade de fazer previsões.

 

Jornalista

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub