António Moita
António Moita 14 de maio de 2017 às 17:38

"Mui nobre sempre leal e invicta"  

Zangam-se as comadres, mas tratando-se de gente bem-educada ficamos sem saber as verdades. Rui Moreira e Manuel Pizarro, que se saiba, sempre se entenderam e dificilmente os veremos manifestarem publicamente qualquer sentimento de azia ou de desconforto pessoal.

Trabalharam juntos pelo Porto e gostariam de o continuar a fazer.

 

O apoio dos socialistas à recandidatura do atual presidente da Câmara do Porto era uma excelente forma de mostrar que a defesa de um projeto para a cidade é sempre mais importante do que a lógica ou a aritmética partidária. Rui Moreira afirmou em campanha eleitoral que o seu "partido é o Porto". Nada mais fácil para os portuenses, incluindo os socialistas, do que a ele aderir.

 

Mas as câmaras municipais continuam a ser centros de poder e de emprego. Num caso e no outro não há qualquer mal nisso desde que os propósitos e os métodos sejam conhecidos e transparentes. Não sabemos, felizmente, os detalhes que levaram à zanga. Mas sabemos que o problema surgiu quando se tratou de dividir os lugares.

 

Ao nível local deveria ser muito fácil estabelecer consensos em torno de matérias que dizem respeito à vida da comunidade. E fazê-lo sem cuidar de saber qual a cor ou o número do cartão de militante de quem se dispõe a colaborar.

 

O afastamento da política das classes mais jovens e mais bem preparadas é uma realidade em crescimento. As taxas de abstenção verificadas nas últimas eleições autárquicas demonstram isso mesmo. Cerca de 50% dos eleitores não votaram.

 

Estimular ao nível local que os cidadãos participem de forma livre e sem constrangimentos na vida da sua comunidade seja através dos partidos, de movimentos de cidadania, ou ainda de coligações entre ambos (realidade que inexplicavelmente a lei proíbe) é um enorme contributo para o reforço da consciência democrática. Que o alerta dado na "mui nobre sempre leal e invicta" cidade do Porto sirva abrir esta discussão.

 

Jurista

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub