Pedro Fontes Falcão
Pedro Fontes Falcão 12 de julho de 2017 às 00:01

Muito obrigado, FFMS!

O Dia Mundial da População é celebrado a 11 de julho. Portugal tem evoluído muito nas últimas décadas, positivamente em áreas como a saúde e a escolaridade, e com incertezas como na segurança de um emprego e na expectativa de uma futura reforma para os mais jovens.

A existência deste dia ajuda a estimular uma maior reflexão sobre o tema, que daria para muitas horas de debate. Como um dos pontos de partida, a Pordata publica neste dia o seu "Retrato de Portugal".

 

Ora, a Pordata é uma base de dados, desenvolvida pela Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS), tendo esta sido criada em 2009 pelo Senhor Alexandre Soares dos Santos e sua família, para estudar temas relevantes de Portugal e levá-los ao conhecimento da sociedade.

 

Falamos, geralmente, da Pordata e de outras ferramentas e iniciativas como um dado adquirido. Mas gostaria de relembrar que elas não caem do céu e que várias nem são públicas, mas fruto da iniciativa de entidades privadas. Esse reconhecimento é frequentemente dado às entidades, mas muitas vezes apenas no momento em que se lançam as iniciativas e em meios mais restritos. Depois disso, o reconhecimento rapidamente se desvanece, ou pior, em certos casos, se deixa de associar as iniciativas aos seus promotores assumindo-se que são financiadas pelo Estado (por exemplo, admito que exista quem pense que a Pordata é pública).

 

Além da Pordata (com dados sobre Portugal e a Europa), relembro que a Fundação Francisco Manuel dos Santos tem outras iniciativas de muito valor, como a elaboração de estudos sobre temas relevantes para a sociedade, a organização de encontros e debates com especialistas nacionais e internacionais, a integração de cientistas portugueses espalhados pelo mundo numa rede, e a adaptação da Pordata a crianças (a Pordata Kids).

 

Para não deixar cair no esquecimento, quero agradecer e felicitar a família Soares dos Santos pelas suas contribuições, estendendo obviamente o agradecimento às (infelizmente poucas) restantes entidades não académicas que contribuem para o estudo de temas relevantes e sua divulgação para a sociedade.

 

Gestor e docente convidado do ISCTE-IUL

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub