Rui Barroso
Rui Barroso 06 de agosto de 2017 às 18:25

Nem os "deuses" escapam às perdas

Andy Hall é considerado o "Deus do petróleo", dados os milhões que ganhou à custa do ouro negro. Mas nem este guru do mercado resistiu aos caprichos dos preços do petróleo durante este ano.
O fundo que geria, o Astenbeck Master Commodities Fund II, perdia cerca de 30% no primeiro semestre, segundo a Bloomberg. E Hall caiu do pedestal e decidiu encerrar esse veículo de investimento.

A agência financeira citou profissionais do mercado que se mostraram chocados com a saída pela porta pequena de Andy Hall. "Estou chocado. Isto é o fim de uma era. Ele é um dos melhores operadores petrolíferos de sempre", comentou Danilo Oronino, gestor da Dogma Capital, à Bloomberg.

Nem o "deus" do mercado foi omnisciente o suficiente para prever que o petróleo perderia valor, mesmo com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e a Rússia a mostrarem coordenação e compromisso para baixar a produção. O Brent perde 8,38% este ano e a negociação tem sido marcada por elevada volatilidade.

E não é o único a falhar. Também o Goldman Sachs reportou, no segundo trimestre, o pior resultado de sempre na negociação de "commodities". E, se nem os "deuses" sobrevivem neste mercado, é porque todos os cuidados são poucos.

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
A BOLHA PRESTES A REBENTAR 06.08.2017

A bolsa dos E.U.A , batem records , sem qualquer justificação , os juros estão demasiado baixos , as empresas as pessoas endividam-se, uma situação insustentável, que vai rebentar , quando so juros dispararem,

pub