Fernando  Sobral
Fernando Sobral 16 de agosto de 2017 às 18:47

O discurso pimba

Alguns têm um enorme desgosto que Constança Urbano de Sousa não seja a agente Atomic Blonde do Governo. Lamentavelmente, Constança não tem perfil nem genica para isso e funciona mais como uma dupla de ministra.

Nada que admire neste país que caminha a passos rápidos para a desertificação da sua fauna e flora. A cultura política está agora ao nível da aquacultura: desenvolve-se em cativeiro. E assim não surpreende a vertiginosa descida aos infernos da política nacional. Não é preciso falar daquele fantasma que o PSD despejou em Loures e que só causa calafrios porque um partido sério incorporou no seu discurso uma deriva populista enervante. Mas como os dislates se tornaram um dever, a acreditar nos principais partidos nacionais, lê-se o que diz a cantora Ágata, candidata independente apoiada pelo CDS à Câmara de Castanheira de Pêra, e percebe-se o abismo para onde caminhamos. Ágata é clara como uma canção pimba: "Para mim a política é zero, não existe." Melhor: "Não sigo a carreira de Assunção Cristas como política nem ouço os seus discursos." Talvez assim se compreenda melhor a sua participação numa lista de um partido político. Ou a razão por que o CDS a convidou. A política chegou ao seu grau zero.

 

Pior é quando dirigentes com mais responsabilidades como Pedro Passos Coelho vêm invocar uma qualquer solenidade patriótica para incendiar a planície. Mostrando-se desejoso de incorporar no seu ADN político a destilaria ideológica do seu candidato a Loures, Passos veio dizer no Pontal uma coisa inimaginável: "O que é que vai acontecer ao país seguro que temos sido se esta nova forma de ver a possibilidade de qualquer um residir em Portugal se mantiver?" Além de ter lido só o que quis na lei, Passos abriu uma caixa de Pandora de onde todos os zombies perigosos podem saltar. Passos empunha o discurso pimba da política: básico, rasteiro e fomentador do deserto. Percebe-se: em momentos de confusão, há líderes que perdem qualquer noção de sensatez. E só se querem salvar. 

 

Grande repórter

A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 3 dias

De facto, a senhora tem um ar patético e pateta. Ainda há bocado a vi, com aquele ar de Maria Madalena, com vozinha de sopinha de massa e boquinha a três quartos dizer que um senhor (note-se: UM SENHOR; não um tipo, um homem, um indivíduo ou um cidadão) tinha provocado meia dúzia de incêndios, porque colocou uma fogareiro cheio de brasas ainda acesas na caixa de uma carrinha e foi passear pela floresta espalhando brasas pelo caminho. Este mentecapto, atrasado mental ou energúmeno é um senhor?!... que ternura! Essa besta devia ser atado a um poste no centro da aldeia e levar uma dúzia de chicotadas...

comentários mais recentes
JCG Há 3 dias

De facto, a senhora tem um ar patético e pateta. Ainda há bocado a vi, com aquele ar de Maria Madalena, com vozinha de sopinha de massa e boquinha a três quartos dizer que um senhor (note-se: UM SENHOR; não um tipo, um homem, um indivíduo ou um cidadão) tinha provocado meia dúzia de incêndios, porque colocou uma fogareiro cheio de brasas ainda acesas na caixa de uma carrinha e foi passear pela floresta espalhando brasas pelo caminho. Este mentecapto, atrasado mental ou energúmeno é um senhor?!... que ternura! Essa besta devia ser atado a um poste no centro da aldeia e levar uma dúzia de chicotadas...

Sr. Grande Repórter Há 3 dias

Saia do ar condicionado, venha até à região centro, ver a realidade real.
Aqui verá toda a inutilidade da ANPC , do comando que massacra os seus operacionais, e onde tudo ardeu.
Não, a culpa não é só do vento, do calor, do mato, da seca ou das árvores.
Ministra? Essa coisa não existe, é cinza.

nin Há 3 dias

Felizmente temos António Costa para nos alumiar neste caminho de trevas. Francamente, Sr. Sobral. Há líderes que só se querem salvar? Consegue escrever isso sem mencionar Costa e a génese da Geringonça? Costa manda Portugal ao chão para ser chefe de tribo, e Ágata deve ser mais competente.

Mr.Tuga Há 3 dias

Politiqueiros tugas ao "nível" da "sociedade?!" tuguesa.....

ver mais comentários