Alexandre Real
Alexandre Real 12 de novembro de 2017 às 20:05

O exemplo não determina a boa liderança 

A liderança não é uma atribuição formal, mas sim um processo de influência social, ou seja, o facto de uma pessoa deter um cargo de diretor-geral não significa que seja líder.

Exemplo é algo que poderá ou deverá ser reproduzido ou imitado.

É um chavão que ouvimos todos os dias que deveremos liderar pelo exemplo, no entanto, é fundamental antes de tudo termos consciência de que existem vários tipos de exemplos no mundo organizacional.

 

Exemplo quanto ao efeito:

 

Exemplo de baixo impacto - Há exemplos que têm um baixo impacto nos nossos seguidores. Esta baixa influência deve-se a ações ou omissões do líder que provocam uma baixa influência nos seus seguidores.

 

Exemplo de elevado impacto - Estes já são pequenas ou grandes ações ou omissões que provocam um elevado impacto nos colaboradores de uma forma consciente ou inconsciente. Por exemplo, a escolha da frota automóvel da empresa. O líder, no discurso de final de ano, relembra a todos os colaboradores, que nos últimos anos a empresa tem sofrido um acréscimo de concorrência e que esse facto tem tido um elevado impacto na liquidez e resultados da empresa. Como consequência deste momento, o líder alerta para a necessidade de a empresa reduzir a gama de automóveis optando assim por modelos mais baratos. No entanto, no dia da entrega da nova frota, os colaboradores deparam-se com o automóvel do líder, e qual não é o seu espanto quando verificam que é um automóvel de gama superior e mais onerosa do que o anterior. O impacto desta decisão faz com que os seguidores o deixem de respeitar enquanto líder e passarão apenas a respeitar mais o seu cargo formal de diretor-geral. Porquê? Porque a atitude não influencia positivamente os seus seguidores e estes sentem que as suas expectativas foram frustradas em torno de um esforço comum. A liderança não é uma atribuição formal, mas sim um processo de influência social, ou seja, o facto de uma pessoa deter um cargo de diretor-geral não significa que seja líder.

 

No entanto, os bons exemplos também poderão ser perversos se os seguidores descobrirem que a sua natureza é extrínseca.

 

Exemplo quanto à sua natureza:

 

Exemplo intrínseco - É o bom exemplo em que o líder está despegado da consequência do mesmo, ou seja, o líder pratica uma boa ação e não está focado no seu impacto. Exemplo dos líderes que praticam o bem e não fazem questão que estas ações sejam publicitadas.

 

Exemplo extrínseco - É o exemplo em que o líder já tem predefinido o fim a atingir. São exemplos que não são autênticos. Nestes casos, os seguidores têm um faro apurado para despistarem este tipo de exemplo e qual a sua real natureza e intenção. Este tipo de ações ou omissões não são autênticas. A título de exemplo, o líder que pratica o bem e que numa vontade sôfrega de massajar o seu próprio ego e de aumentar a sua influência, publicita por todos os meios possíveis e imagináveis o bem que praticou.

 

Neste sentido, pode-se concluir que não é o exemplo que determina a boa liderança, mas sim a sua natureza e impacto.

 

Gestor e Professor Universitário

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub