Rui Barroso
Rui Barroso 05 de junho de 2017 às 19:55

O gestor-estrela que perdeu o apoio dos investidores

Quando a maior parte dos investidores sofria perdas atrás de perdas com a crise do "subprime", havia um gestor que lucrava centenas de milhões de dólares com o colapso dos instrumentos financeiros ligados ao mercado imobiliário dos EUA.

John Paulson ganhou fama e fortuna durante a grande crise financeira, atraindo cada vez mais investidores. Mas quando os mercados começaram a recuperar, as apostas de Paulson começaram a sair consistentemente ao lado, desde os fortes investimentos em ouro até às acções de algumas cotadas do sector farmacêutico.

Em 2011, os fundos do Mr. Subprime chegaram a ter 38 mil milhões de dólares sob gestão, segundo a Bloomberg. Mas entre perda de valor e saídas de investidores, os veículos financeiros de Paulson têm actualmente oito mil milhões de dólares sob gestão, segundo a agência financeira. E, desse valor, cerca de 90% é dinheiro do próprio Paulson.

Até pode ter ficado com um número reduzido de clientes, mas os ganhos da crise e provavelmente as comissões cobradas aos clientes deixaram Paulson multimilionário. Mas recuperará o toque de Midas que o tornou famoso nos mercados?

 

Jornalista

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Não se consegue bater o mercado Há 2 semanas

"Toque de Midas" ninguem tem. Pode-se ter durante algum tempo, mas não há ninguem que consiga acertar sempre. Invistam em index funds de baixo custo. Não tem nada que saber.