Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 10 de julho de 2017 às 20:34

O gigante de Wall Street está a perder qualidades? 

As subscrições dos fundos têm estado a recuperar nos últimos meses. A melhoria da situação política na Europa acelerou uma maior procura por activos de risco e ajudou os fundos a voltar a atrair investimento.

Mas a recuperação não é transversal a toda a indústria. E é o gigante Goldman Sachs quem está a ter mais dificuldades em voltar a captar poupança dos investidores. A gestora do maior banco do mundo já assistiu a resgates no valor de 26,7 mil milhões de dólares desde o início do ano, naquele que é um dos piores desempenhos da indústria em 2017, segundo dados recolhidos pela Morningstar para o Financial Times. Resgates elevados que surgem precisamente no momento em que o gigante de Wall Street está a tentar aumentar a sua divisão de gestão de activos, para diversificar os seus negócios e compensar a quebra das receitas na banca de investimento tradicional. Mas esta estratégia parece não estar a resultar, com a gestora a atribuir os resgates às saídas de fundos de mercado monetário e outros veículos de investimento de curto prazo, que privilegiam a liquidez. Excluindo estes fundos, o banco até teria obtido subscrições positivas. Ainda assim, o Goldman Sachs precisa reconquistar os investidores se quer captar mais investimento.

 

Jornalista 

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub