Fernando  Sobral
Fernando Sobral 27 de janeiro de 2017 às 09:45

O muro de Trump. E outras histórias mexicanas

Donald Trump sempre quer avançar com a construção do muro entre o México e os EUA. E quer que os mexicanos o paguem.

Ao mesmo tempo estava prevista a ida do Presidente Peña Nieto a Washington na próxima terça-feira. O que está a causar um clima patriótico no México. Dado importante: cerca de 1,4 mil milhões de dólares de bens circulam na fronteira entre os dois países, por dia. Os EUA compram cerca de 80% das exportações mexicanas e o México é o segundo maior mercado para os produtos americanos no mundo. A situação é explosiva. No Excelsior da Cidade do México, Francisco Garfias escreve: "Peña não disse se irá ou não ao encontro com Trump. Está claro que pondera os prós e os contras da sua visita. Não pode expor-se a outra ofensa dos americanos." E cita outro comentador, Jesús Silva-Herzog Márquez: "Acabou-se. Vamos aceitar isso. O sonho americano acabou. Para recomeçar." No fundo, muitos pensam que Trump quer oferecer um doce a Peña Nieto com uma mão e ter um garrote na outra.

Mais estratégico é Macario Schettino no diário económico El Financiero: "Entendo que a atitude de Trump é insultuosa e faz com que o nacionalismo revolucionário renasça das cinzas, mas acho que temos de ter uma atitude mais estratégica e menos emocional. Faz bem o Governo ao dizer que não paga o muro e que sim, pode negociar e inclusivamente cancelar o TLC. (...) Será muito difícil a Peña Nieto enfrentar inteligentemente Trump e, ao mesmo tempo, reduzir os custos políticos no México. Nesse sentido talvez não seja má ideia adiar a sua visita." No El Sol de Mexico, Raúl Carrancá y Rivas é mais radical: "A reunião de 31 de Janeiro em Washington entre Trump e Peña Nieto juntará todas as características de um encontro em que o benefício para o México será insignificante senão mesmo nulo. (...) Um chefe de Estado não o apregoa, é." Da parte da tarde, Peña Nieto decidiu-se: não vai mesmo à reunião com o novo Presidente dos EUA.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar