Tiago Freire
Tiago Freire 26 de Outubro de 2016 às 09:37

O Partido Pirata à beira de tomar o poder na Islândia

Os islandeses são diferentes e gostam de se afirmar assim.


Depois de a Justiça do país ter condenado alguns banqueiros pelos problemas no sector que levaram a Islândia para um resgate financeiro, já este ano forçaram a demissão do primeiro-ministro, envolvido na polémica dos papéis do Panamá. Agora, esta terra de vikings está a um passo de inovar novamente: eleger para o poder o Partido dos Piratas.

Este partido surgiu há apenas quatro anos e tem repartido a liderança nas sondagens com o Partido Independente, que está actualmente no governo em coligação com o Partido Progressista. Os piratas foram formados por uma mescla de 'hackers', activistas e anarquistas, que coloca o seu foco na devolução do Governo do país às pessoas. O seu programa é vago, mas eles têm uma explicação para isto: as pessoas depois decidirão o que querem para o país.

A Quartz dedica um longo artigo a este fenómeno, com Jill Petzinger a descrever o Partido Pirata como "o Robin Hood do Poder". "Uma promessa atraente num país onde um crash devastador durante a crise de 2008 provocou uma onda de ressentimento contra o sistema".

Griff White, no Washington Post, reflecte sobre o que se pode esperar das eleições do próximo sábado. "A uma sequência de impossibilidades eleitorais que subitamente se tornaram realidade - incluindo o Brexit do Reino Unido ou Donald Trump ganhar a nomeação republicana - o mundo pode vir brevemente a adicionar um Governo europeu liderado pelo Partido dos Piratas".

A própria líder "pirata", Birgitta Jónsdóttir, admite estar surpreendida com o sucesso do jovem partido. Mais, afirma que, mesmo que os piratas ganhem as eleições, não faz questão de liderar o país. Só o fará "se mais ninguém quiser ou conseguir fazê-lo". Este sábado saberemos como correrá esta abordagem pirata ao poder na Islândia.


A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Errado meu caro Há 1 semana

Os islandeses são honestos e prendem os corruptos. Aqui tudo rouba e ninguem é preso.

surpreso Há 1 semana

Piratas são eles todos,Roubaram as poupanças a milhares de europeus.Rua com esses meliantes

Grilo Há 1 semana

Claro. Quanto demorará a entender que, mais burros do que os portugueses, só os transmontanos?