Raquel Godinho
Raquel Godinho 28 de setembro de 2017 às 19:22

O que é que as empresas vêem na Ásia?

2017 está a ser um ano positivo no que toca às estreias em bolsa. De acordo com os dados da EY, citados pela CNBC, as operações realizadas nos primeiros nove meses deste ano já superam o total de 2016, ano marcado pela incerteza em torno do Brexit e pelas eleições nos Estados Unidos.

E qual tem sido a região escolhida pelas empresas para dispersar o seu capital em bolsa? Mais de metade das operações deste último trimestre foram realizadas na Ásia-Pacífico. Esta região foi responsável por 65% das 330 ofertas públicas iniciais (IPO, na sigla anglo-saxónica) realizadas entre Julho e Setembro, a nível global, e por 49% do capital encaixado, segundo um relatório da EY. Um peso bastante superior ao registado pelos Estados Unidos, onde foram concretizadas apenas 8% das operações a nível mundial. E a China tem sido a principal "eleita". 144 empresas fizeram a sua estreia nos mercados accionistas deste país. Os especialistas contactados pela CNBC acreditam que esta região está a beneficiar de uma maior procura por parte de investidores internacionais. E um bom desempenho das empresas que já se estrearam poderá funcionar como chamariz para que outras se sigam e ditar, assim, um final de ano histórico. Chegam bons ventos da Ásia.

 

Jornalista

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar