Raquel Godinho
Raquel Godinho 03 de julho de 2017 às 20:07

O que é que os CEO americanos têm? 

As remunerações e bónus do sector financeiro fizeram correr rios de tinta durante a crise. E há agora novos dados.

É que o Financial Times publicou, esta segunda-feira, um estudo do Bernstein, onde se conclui que, desde 2004, os presidentes executivos de bancos americanos ganharam, em média, três vezes mais do que os mesmos responsáveis noutras partes do mundo. Ainda assim, o diferencial já foi mais expressivo. Em 2004, os americanos ganhavam 6,8 vez mais do que os pares noutras zonas do globo. E, no ano passado, a diferença foi de 3,26 vezes, o maior diferencial desde 2006. E, segundo os analistas do Bernstein, a diferença coincide com melhores retornos accionistas e lucros mais elevados por parte dos bancos norte-americanos, nos 13 anos alvo de análise. Além disso, este estudo também revela que, a nível global, o pagamento dos CEO do sector financeiro "não mudou de todo", apesar de toda a discussão e de todas as alterações regulatórias que se seguiram à crise financeira. É que, segundo a mesma fonte, os CEO de bancos americanos encaixaram, em média, 20 milhões de euros por ano em todos os anos antes da crise financeira de 2008, o mesmo valor que obtiveram nos últimos três anos.

 

Jornalista

pub