Raquel Godinho
Raquel Godinho 17 de janeiro de 2018 às 21:00

O que tem esta "earnings season" de interessante?

Arrancou, há duas semanas, a época de resultados do quarto trimestre. Os primeiros números conhecidos foram dos bancos norte-americanos e agora começam as empresas europeias a confessar-se ao mercado.

Com os números do último trimestre fica completo o retrato de 2017, ano em que os lucros das empresas do Velho Continente recuperaram o fôlego, sublinha a Bloomberg. E aquilo que os analistas querem saber, ao longo das próximas semanas, é se esta dinâmica de recuperação poderá manter-se ao longo deste ano. A capacidade de manter este ritmo será determinante para o rumo das acções nos próximos meses. Isto depois de os mercados europeus terem registado o melhor arranque de ano desde 2013. A "earnings season" ainda agora começou, mas os analistas acreditam que há margem para surpresas positivas, com as empresas a beneficiarem da recuperação da economia europeia e também dos preços das matérias-primas. Contudo, a subida do euro, que já esta semana atingiu máximos de 2014, pode ser um problema nas contas de exportadoras. Ainda assim, a Bloomberg frisa que os analistas estão menos optimistas para as contas na Europa do que a nível global. Todas as atenções estão voltadas para as contas.

 

Jornalista

pub