Fernando  Sobral
Fernando Sobral 19 de outubro de 2017 às 09:40

O sonho chinês de Xi Jinping no centro do congresso do PCC

O 19.º Congresso do Partido Comunista da China, que está a decorrer em Pequim, marca o início de uma nova era no Império do Meio. E é também a consagração do poder de Xi Jinping, talvez o mais influente dirigente chinês desde Mao Tsé-tung e Deng Xiaoping.

No seu discurso, Xi disse que a China formou "o socialismo de características chinesas para uma nova era". E que ele será o guia do país para os próximos anos. Mais: disse que o rejuvenescimento nacional será uma fantasia sem a liderança do PCC. Há uma estratégia a 30 anos: a partir de 2035 a China será uma das mais inovadoras do mundo, terá uma enorme classe média, o "soft power" será aumentado e terá uma enorme influência global. Em 2050 o Exército Popular do Povo deverá ter uma "força global". Disse Xi: "O exército tem de estar preparado para a guerra. Todo o esforço deve ser centrado em como enfrentar e vencer batalhas." Sobre a economia disse: "A economia da China está em transição de uma fase de rápido crescimento para uma de desenvolvimento de alta qualidade." Mais: "Moveremos as indústrias chinesas para o topo médio-alto da cadeia de valor global, e aumentaremos o número de 'clusters' de indústrias de classe mundial."

No New York Times, Chris Buckley escreve: "Enquanto Mao promovia a luta de classes e Deng Xiaoping abraçava o capitalismo pragmático, a visão de Xi do papel do Partido centra-se na restauração da grandeza da China - o que ele chama 'Sonho Chinês' - e baseia-se na fervorosa dedicação à era de Mao e às glórias da cultura tradicional chinesa que Mao tentou destruir." No Strait Times de Singapura, John Pomfret argumenta: "Durante décadas muitos americanos que faziam negócios na China pensavam que o Partido Comunista não acreditava em mais nada a não ser no poder. Não haveria outra ideologia na China para lá do dinheiro. (…) A ideologia de Xi é um pastiche da filosofia da China imperial e do pensamento radical ocidental. (…) Ele é fruto da aristocracia vermelha chinesa. O seu pai, Xi Zhongxun, foi um dos pais fundadores da China, próximo de Mao."


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub