David Bernardo
David Bernardo 15 de novembro de 2016 às 20:05

O Web Summit foi muito bom! Parabéns, Lisboa. Parabéns, Portugal!

O Web Summit foi muito bom! Ouviram-se algumas críticas e é verdade que não foi perfeito, mas ainda gostava de ver qual é o evento perfeito. Os detalhes melhoram-se, é momento de celebrar, 53 mil pessoas!

Comentava-se que muitos visitantes foram lá apenas por curiosidade, sem interesse na matéria. Mas sendo um tema que está a transformar radicalmente o mundo e que vai impactar todas as áreas da sociedade, esta é uma forma inicial de consciencialização. Dado que a principal barreira à digitalização de uma sociedade é a educação, este primeiro contacto para alguns dos visitantes tem um impacto muito positivo.

 

Ao nível de conteúdos estiveram presentes vários dos melhores especialistas do mundo nas suas áreas. Quem não sabia nada, se prestou atenção, aprendeu.  Conferências para todos os níveis com vários temas que vão muito para além da tecnologia. Um dos meus favoritos foi o director de Cultura do Vaticano, que fez uma conferência em conjunto com a CEO do Burning Man.

 

Lisboa esteve no seu esplendor. Uma população acolhedora que fala um inglês decente (digam o que disser as estatísticas) e que se esforça para ser simpática com os visitantes (que estavam encantados). Quantas vezes temos na mesma cidade várias das pessoas que mais estão a mudar o mundo, a jantar e a adorar a comida portuguesa, pelas ruas de Alfama ou do Bairro Alto? Quantas vão voltar e recomendar aos amigos? Para o turismo, o impacto vai ser muito positivo.

 

Num sector caracterizado pela informalidade, foi fantástico ver os vários organizadores e "influencers" integrados com os participantes. Durante o evento (e nas diversas festas à noite) cruzei-me várias vezes com o secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, com Miguel Frasquilho, presidente da AICEP, Paulo Portas, Vítor Costa e Paula Oliveira, do Turismo de Lisboa, e Luís Araújo, do Turismo de Portugal. É refrescante ver este tipo de relação onde tratam por tu os empreendedores em contraste com os burocratas fechados nos escritórios que só aparecem para a fotografia, ou para criar dificuldades.

 

As start-ups portuguesas também estiveram à altura, foi interessante vê-las a fazerem "pitch" a vários dos principais investidores e fundos. Alguns fazem já parte do "circuito internacional" como, por exemplo, Pedro Trinité da TTR (ttrecord.com um dos meus casos favoritos de empreendedorismo em Portugal que já internacionalizou) que conhecia e era respeitado por muitos dos principais investidores internacionais.

 

Claro que agora todos querem ser empreendedores, mas por experiência própria, pois já me dei bastante bem e mal com o tema, há que ter cuidado, pois o empreendedorismo não é fácil, não é para todos e não há milagres. Não vamos criar expectativas acreditando que todos vão ser os próximos Facebook ou Instagram. Há que alertar bem para os riscos para que não se façam disparates e se arruínem famílias. Mas tendo isso em conta, o empreendedorismo pode ser parte das soluções para o país. O ecossistema está ainda uma fase inicial e é mais um passo num caminho que já tem sido pavimentado por instituições como a Beta i e a Startup Lisboa e que cada vez mais se irá desenvolver. Sobre os fundos anunciados e sobre o P2020 vamos falar mais num dos próximos artigos.

 

Lisboa está no mapa do sector! Parabéns, Lisboa! Parabéns, Portugal! Parabéns aos organizadores! Para o ano há mais e até lá mãos à obra para trabalhar e desenvolver o empreendedorismo.

 

Partner litsebusiness.com e professor de e-commerce e marketing digital na Nova SBE

 

Coluna mensal à terça-feira, excepcionalmente é publicada hoje 

A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Paulo Há 3 dias

Se forem o site cnn.com e procurarem "Lisbon Web Summit" não surge qualquer informação. Absolutamente nenhuma. Isto acontece em quase todos os sites internacionais. Ninguém ligou nadinha a isto... à excepção de alguns lisboetas.

surpreso Há 1 semana

Lá vêm 200 milhões com os pastéis de nata!

pub