António Vieira Monteiro
António Vieira Monteiro 02 de janeiro de 2017 às 17:00

Os desafios para o sistema financeiro

Despedimo-nos agora mesmo de 2016. Para nós, no Banco Santander Totta, foi um ano muito positivo. Crescemos, sem qualquer ajuda estatal e do acionista , apresentámos os melhores resultados, os melhores rácios e os melhores ratings do sector.

Em poucos meses, num tempo recorde, integrámos serenamente o Banif na nossa estrutura. Em reconhecimento do nosso trabalho,  recebemos  todos os prémios atribuídos à  Banca portuguesa  este ano e fomos novamente a Escolha do Consumidor.

Continuámos em 2016 a apoiar o desenvolvimento da economia portuguesa (com as maiores quotas de produção de crédito), ajudando as empresas a crescer, contribuindo ativamente para o desenvolvimento dos seus negócios, apoiando na sua internacionalização e ouvindo os seus gestores a cada dia. Estivemos ainda vez mais próximos das famílias - um em cada cinco contratos no crédito à habitação teve o nosso selo. Clientes, colaboradores e acionistas têm hoje a perceção da presença do Santander Totta: nos últimos oito anos, o banco concedeu quase €34 mil milhões de crédito a empresas e perto de €7 mil milhões de crédito a particulares.

Mas gostamos mais de olhar para o futuro. E, por isso, quando nos  perguntam o que queremos para 2017, dizemos claramente que vamos continuar a contribuir para o desenvolvimento das pessoas e das empresas. Queremos colaboradores entusiasmados e acionistas satisfeitos. Vamos continuar com os nossos bons resultados ao mesmo tempo que estaremos cada vez mais comprometidos com a sociedade. Esta é a nossa missão.

Para manter o sucesso, é preciso reinventar a forma como a Banca faz negócio, ter uma estrutura ágil e moderna, colaboradores bem preparados e motivados e clientes satisfeitos que confiam no Banco que lidero. O futuro da banca passa decisivamente pela capacidade de ir ao encontro das necessidades futuras dos clientes. Inovação tecnológica, novos canais digitais e balcões mais especializados. 

Vivemos tempos de mudança para uma realidade mais global, inovadora e sustentável.

Acredito que o Banco Santander Totta está preparado para enfrentar os desafios que se avizinham para os próximos anos. Com equipas motivadas e objetivos muito claros, sabemos o caminho e estamos preparados para o percorrer.

Em 2017 Portugal ainda terá de enfrentar vários desafios sérios no sistema financeiro. Capitalizações, reestruturações acionistas, venda de instituições bancárias - de tudo um pouco estará em cima da mesa. Desejo muito sinceramente que as incertezas dos últimos tempos se comecem a dissipar para que se cumpra, sem vulnerabilidades, o principal papel deste sector: apoiar a economia, as empresas e as pessoas, num trabalho assente em instituições sólidas e sustentáveis. Restaurando ao mesmo tempo o grande ativo que os banco - e só os bancos - podem ter nesta atividade: confiança. Tudo isto é ainda mais importante quando, apesar dos números positivos revelados pelas finanças públicas, precisamos de estimular um maior crescimento da economia e do investimento produtivo.

A nível internacional, o sector financeiro continuará a ser objeto de processos de consolidação, resultantes de um quadro regulatório cada vez mais sério, de necessidades de capital crescentes e de uma concorrência proveniente de players tecnológicos  que não estão sujeitos a um quadro legal tão exigente mas que se posicionam num negócio de intermediação até hoje só ao alcance dos bancos. Pelo lado do Santander Totta estamos completamente disponíveis para apoiar as empresas com projetos viáveis que ampliem a capacidade exportadora e competitiva da economia portuguesa.

Gostaria de deixar uma nota sobre a gestão que lidero e que passou a integrar três administradoras e membros não executivos independentes que terão um papel muito importante no acompanhamento de áreas decisivas para o desempenho de excelência que queremos reforçar. O Santander é já uma escola de formação de profissionais de enorme qualidade. Estou muito contente com a equipa que temos e com as iniciativas que desenvolvemos para dar a todos os colaboradores melhores condições para o exercício das suas funções e para promover um equilíbrio saudável com a sua vida familiar. Em Portugal fomos os primeiros a receber a certificação de empresa familiarmente responsável.

Finalmente, quero destacar a nossa política de responsabilidade social, um dos pilares do nosso ADN, com níveis ímpares no nosso país. Investimos mais de 6 milhões de euros por ano nesta área. Apostamos no ensino superior - através de parcerias com 50 instituições e apoiando iniciativas como o nascimento do novo campus da NOVASBE em Carcavelos. Fomentamos o empreendedorismo, a mobilidade e a empregabilidade. Acreditamos que o conhecimento é a melhor ferramenta para enfrentar o futuro. Em 2016 apoiámos mais de 7.000 pessoas com forte impacto na sociedade.

Gostamos de ser o Banco português mais comprometido com a sociedade. Um Banco Simples, Próximo e Justo.

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Foi só comprar Banif a preço de saldo e cobrar mais comissoes aos clientes!

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Foi só comprar Banif a preço de saldo e cobrar mais comissoes aos clientes!

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub