Carla Pedro
Carla Pedro 19 de fevereiro de 2017 às 18:40

Portugal não é país para bitcoins

Minerar bitcoins - processar e verificar transacções - é uma das formas de investimento mais apreciadas por quem se deixa cativar por esta moeda digital.

Existem empresas específicas que mineram bitcoins na nuvem, com máquinas potentes o suficiente para processarem todas as transacções, e qualquer pessoa pode entrar como investidor: basta comprar uma parcela dessa potência de mineração na nuvem, que é como se tivesse adquirido uma placa física que vai funcionar ininterruptamente mesmo que o computador esteja desligado.

Essas empresas têm avultados gastos de energia eléctrica, pelo que preferem sediar-se em países onde o custo de electricidade é mais baixo. Não é o caso de Portugal: o website BitcoinEZ fez uma lista do mundo ocidental onde a electricidade é demasiado cara para ser viável minerar bitcoins e nós estamos na lista. Itália lidera o "ranking", seguida da Alemanha, Reino Unido e Bélgica.

Em quinto lugar surge Portugal, com o preço médio da electricidade a custar 0,1105 dólares por Kw/h. Não é o melhor preço para ter um negócio de mineração rentável, adverte o website, pois mesmo com hardware mais eficiente em termos energéticos torna-se difícil operar sem perdas. Tal só é possível se fizer um investimento substancial.

 

Jornalista

pub