Alexandre Real
Alexandre Real 08 de janeiro de 2017 às 19:15

Qual a melhor forma de resolvermos um conflito?

Os conflitos poderão ser positivos e são sinónimo de vitalidade nas equipas de trabalho, até porque os elementos das equipas de elevado desempenho sabem que os conflitos prendem-se com determinados assuntos e não pessoalizam os mesmos.

Para começar, o que é um conflito?

 

Genericamente e resumidamente temos um conflito quando temos de decidir entre algo antagónico ou quando uma ou várias pessoas tem posições diferentes sobre a mesma temática e existe a necessidade de decidir por uma posição.

 

Culturalmente, em Portugal, o conflito é tendencialmente visto como negativo. No nosso país apreciamos mais o consenso do que o conflito. No entanto, e na minha modesta opinião, o conforto do consenso é algo que não nos ajuda a desenvolver, aliás são vários os descalabros que aconteceram na História pelo pensamento grupal e consensual. Para exemplificar, foi o pensamento de concórdia e unanimidade que ditou o acidente do vaivém espacial Challenger que explodiu no dia 28 de janeiro de 1986. Existiam indícios de que algo não estaria bem na fuselagem do vaivém, no entanto, a confiança e o sucesso da equipa responsável pelo lançamento era tanto que ninguém entrou em conflito confrontando a equipa com as evidências técnicas.

 

Quanto aos tipos de conflito, existem vários tipos:

 

- Intrapessoais (connosco próprios);

 

- Conflitos intergrupais (entre pessoas do mesmo grupo);

 

- Conflitos interpessoais (conflitos entre duas ou mais pessoas).

 

Para a resolução de conflitos temos aceitado genericamente três formas:

 

- Evitamento (fuga ou fingir que está tudo bem);

 

- Desativação do conflito (esperar algum tempo para que durante esse período se ganhe tempo para encontrarmos a solução);

 

- Enfrentá-lo através de uma de três estratégias (ganhar-perder, perder-perder, ganhar-ganhar).

 

Qual a melhor forma de resolvermos um conflito?

 

Não existem receitas, pois cada situação é única, no entanto, é positivo que não resolvamos os conflitos sempre da mesma forma.

 

Tendencialmente temos um estilo preferido para a resolução de conflitos, no entanto, esta tendência pessoal de cada um de nós poderá não nos ajudar, o melhor será sempre analisar caso a caso e escolher  prudentemente qual a melhor forma de resolução, certamente resolvermos os conflitos da mesma forma não será a  melhor solução.

 

E é bom não esquecer que os conflitos poderão ser positivos e são sinónimo de vitalidade nas equipas de trabalho, até porque os elementos das equipas de elevado desempenho sabem que os conflitos prendem-se com determinados assuntos e não pessoalizam os mesmos.

 

Gestor e professor universitário

 

Este artigo está em conformidade com o novo Acordo Ortográfico
A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub