Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 04 de janeiro de 2018 às 21:04

Quando três dias valem pelo ano todo

Um dos 12 desejos de muitos portugueses para 2018 terá sido seguramente um aumento, ou uma oportunidade para melhorar a sua situação profissional.

Mas, quando o assunto são salários, as disparidades são enormes, sobretudo quando a comparação é feita com funcionários de topo. De acordo com a Reuters, que cita um relatório, em média, os líderes de uma grande empresa britânica já ganharam esta semana o mesmo que um trabalhador comum recebe no ano todo. Ou seja, três dias de trabalho são suficientes para que a média da remuneração dos CEO do Footsie 100 supere as 28.758 libras que um trabalhador mediano recebe, adianta o relatório do Chartered Institute of Personnel and Development (CIPD). Uma discrepância que, ainda assim, tem sido atenuada nos últimos anos, devido à quebra dos prémios dos líderes das maiores cotadas. "A queda no pagamento no último ano é bem-vinda, embora relativamente marginal e tem sido amplamente liderada pelas crescentes preocupações do público e dos accionistas", diz Peter Cheese. Tal como aponta o mesmo responsável, "grandes diferenças entre executivos e a força de trabalho simbolizam como tantas empresas falham em dar valor aos seus trabalhadores".

 

Jornalista

pub