Raquel Godinho
Raquel Godinho 20 de junho de 2017 às 21:10

Quem quer dívida a 100 anos da Argentina?

A Argentina voltou ao mercado. Pouco mais de um ano depois de ter realizado uma emissão recorde no valor de 16 mil milhões de dólares (14,3 mil milhões de euros), o país vendeu dívida que vence daqui a cem anos.

Colocou 2,75 mil milhões de dólares em dívida com uma "yield" anual de 7,9%. Mas as ordens dos investidores ascenderam a 9,75 mil milhões, segundo o Financial Times. Quem tem apetite por dívida de uma tão longa maturidade? E de um país que já entrou em incumprimento por oito vezes desde que obteve a independência, em 1816? Antes de avançar com a operação, o Tesouro do país terá avaliado o apetite dos investidores, acreditam os analistas. "Teve de haver muito dinheiro por trás disto", defende Alejo Costa, estratego chefe da BTG Pactual. Num contexto de retornos baixos, a "yield" oferecida é atractiva para os investidores. Sobretudo aqueles que têm a expectativa de que o país cumpra as metas orçamentais e reduza o défice. Nesse caso, as obrigações terão um bom desempenho nos próximos anos e, segundo os cálculos dos analistas, os investidores poderão recuperar o seu investimento inicial em cerca de 12 anos. É um investimento pouco habitual, mas que pode ser compensador.

 

Jornalista

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 21.06.2017

Em Portugal dívida chegou a ser colocada com yelds superiores e Portugal nunca fez um default... ou seja FOMOS ENGANADOS PELO PASSOS E PELO PORTAS! Além disso a entrada estava reservada a mínimos de 20 mil euros... logo longe muito longe dos pequenos investidores...