Pedro Fontes Falcão
Pedro Fontes Falcão 24 de janeiro de 2017 às 19:33

Quem suporta a Caixa Geral de Depósitos?

É interessante falar sobre pontos fortes e pontos fracos de organizações para as ajudar a melhorar e para que as pessoas externas às mesmas fiquem mais bem informadas sobre as organizações em causa. Mas não se tem dado muita atenção a isto.

Ao ler sobre a demora na nomeação do novo conselho de administração da Caixa, relembro-me que muito se tem falado sobre a Caixa nos últimos meses.

 

Mas, infelizmente, não se tem falado muito dos aspetos positivos do banco, como os clientes fidelizados, o papel de líder de mercado que a Caixa tem no mercado nacional ou do relevo que tem em vários países. Também pouco destaque se deu à aprovação de um aumento de capital sem ser considerado "ajuda do Estado", o que permitiu evitar a imposição de "remédios" (vulgo, castigos) ao banco.

 

Por outro lado, também não se tem falado muito de aspetos negativos da Caixa.

 

Em geral, é interessante falar sobre pontos fortes e pontos fracos de organizações para as ajudar a melhorar e para que as pessoas externas às mesmas fiquem mais bem informadas sobre as organizações em causa. Mas não se tem dado muita atenção a isto.

 

Os temas mediáticos têm sido, diversas vezes, de cariz político, e geralmente ligados a decisões do acionista e/ou da administração. Não quero dizer que não se deva falar de certos temas. Por exemplo, a escolha de administradores que se antevê que poderão não passar no crivo do BCE apenas atrasa os processos de nomeação. Então, porque não se escolhem, logo de início, pessoas que se sabe que têm uma muito elevada probabilidade de serem aprovadas? Este e outros temas, como o modelo de "governance", são relevantes e merecem obviamente ser discutidos.

 

Contudo, no meio de tudo o que se tem dito sobre o acionista e as administrações, a Caixa continua a ser o líder do mercado e um pilar do setor financeiro. Esta realidade resulta de quem tem suportado o banco, de que não se tem falado nem escrito, mas que se deveria falar, escrever e valorizar mais: os seus colaboradores!

 

Gestor e docente convidado do ISCTE-IUL

 

Este artigo está em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
bento 25.01.2017

Oh amigo, perdeste o emprego, ou já não tens cartões de visita pagos pela CGD?