Raquel Godinho
Raquel Godinho 22 de junho de 2017 às 20:45

Referendo no Reino Unido? Já passou um ano 

Há um ano, os mercados tremiam com o referendo no Reino Unido. Os britânicos decidiam nas urnas a permanência do país na União Europeia. O Brexit foi o desfecho e passou a ser uma expressão diariamente utilizada na linguagem financeira.

A reacção inicial dos mercados foi o pânico. As bolsas europeias caíram de forma expressiva. A praça de Lisboa atingiu o valor mais baixo de 1996. No mercado cambial, a libra perdeu valor face às principais moedas e voltou aos níveis de 1985 face ao dólar. Já a volatilidade disparou. Pode não parecer, mas já passou um ano. E o que permanece é a incerteza política.

Nos mercados, a divisa caiu cerca de 15% face ao dólar e face ao euro. Mas a queda da divisa foi bem recebida pelas grandes cotadas britânicas, que ajudaram o índice de Londres a avançar cerca de 18% neste período. E também as bolsas europeias recuperaram, com o Stoxx 600 a somar 12% e o PSI-20 a avançar 11%. Depois do susto inicial, aos poucos os mercados começaram a perceber que o Brexit não seria tão rápido e fácil como se pensava.

O tiro de partida das negociações foi dado esta semana, numa altura em que o governo de Theresa May ainda não tem apoio parlamentar garantido. Este continua a ser um "divórcio" à espera de acontecer.

 

Jornalista

pub