Patrícia  Abreu
Patrícia Abreu 22 de janeiro de 2018 às 20:30

Tirar de debaixo do tapete custos escondidos 

2018 trouxe novas regras para os mercados financeiros. Um dos grandes objectivos da nova directiva é precisamente aumentar o grau de transparência e reforçar a protecção dos investidores.

E com a nova regulação passam a conhecer-se detalhes que antes não estavam divulgados. Segundo uma notícia do Financial Times, os investidores estão a pagar mais pelos seus fundos do que o valor que surge no custo total do investimento. O levantamento do jornal britânico incluiu gestoras populares, como a Janus Henderson, a BlackRock ou a Vanguard e conclui que muitos participantes pagam mais do dobro do valor que até agora era divulgado. A DMIF II impõe que, ao contrário do que acontecia até agora, as gestoras de fundos reportem o custo total, que inclui transacções, custos de negociação e outros encargos. De acordo com o levantamento do FT, por exemplo, o BlackRock iShares FTSE UK All Stocks Gilt tem encargos globais de 20 pontos base, mas quando são contabilizadas outras comissões e custos de transacções, este custo dispara para 75 pontos base. O mesmo acontece noutros fundos, como o JPMorgan's Global Macro Opportunities. A nova legislação parece já estar a conseguir mostrar encargos que estavam debaixo do tapete.

 

Jornalista
pub