Rui Barroso
Rui Barroso 25 de janeiro de 2017 às 20:19

Tolerância zero para alertas sobre resultados 

Política monetária favorável. Melhores condições de financiamento. Euro e libra baixos. Factores que podem ajudar os resultados das empresas europeias.

Mas se este cenário promove o crescimento dos lucros, as empresas que falham esta espécie de golo de baliza aberta arriscam-se a ser alvo de castigos dos mercados.

"Empresas que mostrem resultados abaixo do esperado ou que cortem as suas perspectivas estão a ser mais punidas do que o normal porque desta vez os investidores não têm paciência para alertas sobre resultados", considerou Stephane Ekolo, estratego da Market Securities, citado pela Bloomberg.

Dois exemplos? A britânica BT Group chegou a perder mais de 20% após reconhecer perdas maiores do que o que tinha indicado na sua divisão em Itália. Também a Pearson teve de reconhecer que as estimativas que andava a reiterar ao mercado eram afinal demasiado optimistas e que, assim sendo, teria de cortar dividendos. Nesse dia, as acções chegaram a tombar 30%.

Falhar as estimativas para os resultados trimestrais até pode testar a paciência dos investidores. Mas o que os tira realmente do sério é verem administrações andarem a adiar as más notícias que, mais cedo ou mais tarde, terão de chegar.

 

Jornalista

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub