Fernando  Sobral
Fernando Sobral 23 de Novembro de 2016 às 09:40

Trump quer Farage como embaixador em Washington. Irá?

Donald J. Trump, numa das suas temíveis entradas no Twitter, deixou uma sugestão: "Muitas pessoas gostariam de ver Nigel Farage representar a Grã-Bretanha como seu embaixador nos Estados Unidos. Ele faria um grande lugar."

Farage já disse que ficou "muito lisonjeado" pela sugestão. Mas Downing Street quis estragar já a festa: diz que não há lugar vago em Washington para acolher Farage. No YouTube, Trump também colocou um vídeo a dizer que a sua equipa está a trabalhar de forma "eficiente", dizendo que não há caos nenhum nas Trump Towers. E disse também que no primeiro dia da sua presidência vai retirar os EUA do Acordo Transpacífico. Um duro golpe para o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, que tinha dito horas antes que o acordo seria "insignificante" sem os EUA.

No New York Times, Paul Krugman carrega contra Trump: "Steve Bannon, o estratego principal de Trump, é um supremacista branco e um fornecedor de notícias falsas. Mas no outro dia, numa entrevista à Hollywood Reporter, pareceu durante um minuto como um economista progressista. 'Eu sou quem está a empurrar um plano de infra-estruturas de 3 triliões'." E acrescenta: "Já conhecemos o suficiente do plano de infra-estruturas de Trump para acreditarmos que é basicamente fraudulento, que vai enriquecer uma meia dúzia de pessoas com boas conexões às custas dos impostos dos contribuintes enquanto se faz pouco para curar a quebra do investimento." Richard Cohen, no Washington Post conta a história de que logo a seguir ao debate do "vice" Mike Pence, perguntara ao filho de Trump, Eric, o que achava. Segundo Cohen ele respondeu como um Corleone: "Eu acho que ele representou a família, e penso que representou o partido incrivelmente esta noite." Conclui Cohen: "Na sua cabeça, Trump não venceu a Casa Branca como o líder do Partido Republicano. Ganhou como chefe da família."



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Namari Há 5 dias

Your posting really sthegirtenad me out. Thanks!

pub
pub
pub