João Quadros
João Quadros 09 de fevereiro de 2018 às 10:19

Um carro no espaço

O Tesla foi testado em ambientes extremos e no acesso ao parque de estacionamento do Corte Inglés. Já estou a imaginar o anúncio: 'Vende-se Tesla impecável em segunda mão com 115 milhões de quilómetros.'
A SpaceX, do multimilionário Elon Musk, lançou com sucesso o Falcon Heavy, o foguetão mais poderoso do mundo. A bordo vai um carro eléctrico da Tesla, com um manequim vestido de astronauta ao volante. Como vai com o braço de fora da janela do carro, julgo que o manequim foi feito em Portugal.

Foi necessária uma propulsão equivalente a 18 aviões Boeing 747 para pôr o foguetão no espaço. Se uma das razões desta viagem era uma campanha publicitária para o uso da energia limpa do carro eléctrico da Tesla, precisam de vender milhares de carros eléctricos só para compensar o que queimaram em combustível na viagem.

Importa referir que, antes de ter entrado nesta missão a Marte, o Tesla foi testado em ambientes extremos e no acesso ao parque de estacionamento do Corte Inglés. Já estou a imaginar o anúncio: "Vende-se Tesla impecável em segunda mão com 115 milhões de quilómetros."; "Já fui a Marte com isto e não me deu chatices nenhumas."

A fotografia do astronauta no descapotável com a Terra como fundo vai ser usada em milhares de piadas, montagens e palestras de motivação para as pessoas que têm de dar voltas e mais voltas para conseguir estacionar em Lisboa.

Até agora, a missão correu bem, mas para ter a certeza de que não havia perigo o Elon devia ter contratado a minha mãe. Sentavam-na na cadeira ao lado do manequim que está no volante do carro e ela faria aquilo que costuma fazer quando viaja comigo: "Vais muito depressa. Não vás tão depressa. Já vais a sessenta. Aquilo ali é uma curva, pareces um doido a guiar. "

Estamos perante um momento histórico da conquista do espaço. Marte vai ser a grande obsessão e o destino do Homem nos próximos 20 anos. Em Marte, estão cerca de oitenta graus negativos, imaginem o que isto não daria em reportagens sobre o frio nos noticiários das nossas televisões. Elon Musk anunciou, em Setembro de 2016, que vai levar os primeiros 100 humanos a Marte em 2022 e que, até ao ano 2060, vai haver um milhão de pessoas a viver no Planeta Vermelho. Sinceramente, Marte, pelo que me apercebi das fotos do Curiosity, é um sítio sem interesse nenhum. Tem uma padaria portuguesa e pouco mais. Faz lembrar a minha viagem de finalistas ao Egipto, um dia inteiro a ver calhaus.

Importa também dizer que um ano em Marte tem 687 dias. Tenho a certeza de que, apesar de um ano em Marte ter 687 dias, acabávamos na mesma a comprar as prendas de Natal na véspera. Resta acrescentar que os dias têm 24,6 horas. Ou seja, 38 minutos a mais de um dia na Terra. Aposto que isto iria dar problemas com os sindicatos e a Autoeuropa.

top-5

Planeta vermelho

1. O Banco de Portugal não divulgou os dados relativos à falência da Rioforte, sociedade do universo não financeiro do Grupo Espírito Santo. - Aposto que foi falhanço do SIRESP.

2. Bitcoin acentua queda e Draghi avisa para riscos - A bitcoin e a pulseira Tucson das moedas.

3. Kim Yo-Jong, irmã do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, vai participar na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno, que se realizam em Pyeongchang. - Ui, vejam lá que ele tem a mania de matar familiares. Pode ter o plano de lançar um míssil e juntar o útil ao agradável.

4. Lobo Antunes revelou ter sido assediado, por um professor de Moral, no Liceu Camões. - Posso estar a ser injusto, mas isto cheira-me a campanha publicitária da Memofante.

5. Segundo uma investigação da SIC, o Banco de Portugal escondeu um buraco de 954 milhões da Rioforte. - Está na altura de deixar de chamar Banco de Portugal ao Banco de Portugal. Chamem-lhe o que quiserem, mas não é para nós que eles estão a trabalhar. 



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 1 semana

PALERMA SEM GRAÇA NENHUMA...!!!

Neves Há 1 semana

Excelente

Invicta Há 1 semana

Bem, hoje conseguiu escrever um artigo, sem se referir ao PSD.

Oscar Alho Grande Há 1 semana

O que é um "xeniofobo"? É a vida caro senhor Alves... Repare que até eu escrevi o seu nome com maiúsculas, coisa que o senhor nem se deu ao trabalho, talvez porque a sua pequenez até na altura de se nomear se revela. Uns escrevem para os jornais e outros tentam criticar nos comentários dos jornais

ver mais comentários