Alberto Ramos
Alberto Ramos 16 de novembro de 2017 às 11:47

Uma plataforma de oportunidades para as empresas

No Bankinter, gostamos de empresas. De empresas portuguesas, de empresas espanholas, de empresas que têm vocação ibérica, como nós, de empresas de todos os países, de multinacionais estabelecidas nestes dois mercados e de todas as empresas ativas, bem geridas e sólidas.
Acreditamos que as empresas, pequenas, médias ou grandes, são o verdadeiro motor da economia dos países e que só com empresas ativas e sólidas é que a economia cresce e proporciona bem-estar às famílias. Este crer está-nos no sangue. Está no nosso ADN, desde o início do banco.

O Bankinter, que nasceu com o nome de Banco Intercontinental Espanhol, surgiu em 1965 ao serviço da economia, investindo numa vertente dupla: através de participações de capital e através da concessão de crédito a empresas, a médio e a longo prazo. Em ambos os casos, os beneficiários eram empresas industriais ou agrícolas, que então se encontravam no início da sua atividade ou em processo de restruturação, dando prioridade ao apoio às pequenas e médias empresas.

Nos mais de 50 anos de existência do Bankinter, a Banca de Empresas, área responsável pela nossa atuação junto do mercado empresarial, tem sido um dos motores do nosso desenvolvimento e crescimento. Muito devemos aos desafios que as empresas nos colocam, no sentido de procurarem mais e melhores soluções para a sua atividade. O crescimento do Bankinter está intimamente associado ao crescimento das empresas que apoiamos. O seu sucesso estimula o nosso.

O foco do apoio às empresas

Com a expansão para o mercado português, a ambição natural de nos constituirmos como um banco que apoia as empresas em Portugal foi imediatamente assumida. Aliás, como é público, ainda antes da oportunidade de adquirir uma operação bancária em Portugal, já o Bankinter tinha realizado as primeiras ações para iniciar a atividade da Banca de Empresas no nosso país.

A oportunidade de desenvolver uma operação bancária mais abrangente abriu também espaço à ambição de apoiar as famílias em Portugal. Mas nunca esquecendo o foco do apoio às empresas, implementando para os dois segmentos um serviço de excelência, apoiado por um conjunto de profissionais experientes e dedicados.

O apoio às empresas em Portugal tem crescido desde o início da operação, em abril de 2016. Trabalhámos e continuamos a trabalhar para poder oferecer uma gama completa de produtos e serviços. Temos também investido muito na oferta online às empresas e, muito recentemente, lançámos uma nova Plataforma de Negócio Internacional, dentro da aplicação Bankinter Empresas. Mas, como referi, a nossa grande diferenciação assenta numa equipa de profissionais dedicados e experientes e na forma como respondem aos desafios colocados pelas empresas que servem.

Balanços mais sólidos

Assim, como banco próximo das empresas em Portugal, sabemos que estão agora mais sólidas, com balanços mais robustos e com maior liquidez. E é com orgulho que vemos que são geridas por equipas profissionais, que contam com pessoas de elevado valor, cuja criatividade e polivalência são reconhecidas interna e externamente, e como criam em Portugal produtos de elevada qualidade, com clientes satisfeitos em todo o mundo.

O Bankinter está e vai continuar a estar com estas empresas. Com as empresas que tanto nos orgulham e que projetam o nome de Portugal internacionalmente. Daí a criação desta iniciativa, a Plataforma Empresarial, que desenvolvemos em parceria com o Jornal de Negócios, e que é um reflexo natural do nosso apoio e compromisso com as empresas em Portugal.

Além de um conjunto de eventos com participações muito interessantes, que nos irão fazer refletir e aprender, desejamos que a Plataforma Empresarial seja vista como uma oportunidade para as empresas poderem realizar novos contatos. À semelhança de muitas outras nossas iniciativas, este será um espaço das empresas e para as empresas.

Ambicionamos que a Plataforma Empresarial seja um espaço de oportunidades que se traduzam em novos negócios. Que estas iniciativas se transformem em plataformas regionais e nacionais que possam contribuir para o crescimento das empresas. Porque só com empresas mais sólidas teremos uma economia mais capaz de responder às necessidades das pessoas e um país mais forte.


Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub