Armando Esteves Pereira
Armando Esteves Pereira 26 de janeiro de 2017 às 20:45

Vida para além dos bolos

A novela da redução da TSU para compensar o salário mínimo foi politicamente relevante, porque se tratou do  primeiro choque entre o Governo e o seu suporte parlamentar à esquerda e mostrou a António Costa os limites da sua acção.

O Governo é minoritário e não pode ter uma política pisca-pisca, virar para a esquerda quando convém e à direita quando PCP e Bloco não gostam.

 

Este episódio também revelou o regresso de uma narrativa que faz lembrar as piores obras do neo-realismo, mas desta vez a história da triste coitadinha não é contada pelas vítimas do trabalho quase escravo, mas por defensores dos pobres patrões, asfixiados com o aumento do salário mínimo para 557 euros por mês.

 

É evidente que sem produtividade não pode haver aumento de ordenado e também está provado que o excesso dos custos do trabalho é causa para o agravamento do desemprego. É um jogo de equilíbrios complicados, mas em que deve haver algum sentido de justiça.

 

E entre as declarações infelizes que se ouviram a propósito do salário mínimo, merece destaque o que disse à SIC o gestor da Padaria Portuguesa. Se fosse uma empresa industrial que concorre aos custos por minuto com as congéneres do Extremo Oriente, ainda havia justificação para esses comentários, mas tratando-se de uma empresa que opera no mercado interno a vender produtos de pastelaria, até corre o risco de o tiro sair pela culatra.

 

Há muitas empresas que têm dificuldades em pagar o salário mínimo, mas um gestor com responsabilidades vir a terreiro defender a total precarização do trabalho e querer  mais de 40 horas por semana de  trabalho para pessoas que ganham poucas centenas de euros  chega a ser ofensivo. Uma empresa não pode ser só um instrumento para gerar lucros. É fundamental haver responsabilidade social, a começar com os trabalhadores que ajudam a multiplicar o retorno do investimento. Há mais vida para além dos bolos.

 

Director-adjunto do Correio da Manhã

A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


A geração rasca… de esquerda

PS - PCP - BE - e seus apoiantes - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos ladrões FP-CGA.

comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 3 semanas

Certo!

Anónimo Há 3 semanas


A geração rasca… de esquerda

PS - PCP - BE - e seus apoiantes - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos ladrões FP-CGA.