01 de Setembro | Robert Skidelsky
Robert Skidelsky : Fim do jogo para Putin na Ucrânia?
Vladimir Putin pode beneficiar (ou não) de 80% de apoio popular na Rússia devido à sua política na Ucrânia; mas torna-se cada vez mais claro que está a perder o controlo da situação. A pergunta é: em que ponto é que a sua posição, enquanto Presidente, se tornará insustentável?
01 de Setembro | Howard Davies
Howard Davies : A vacilante integração financeira da Europa
Os problemas do português Banco Espírito Santo, conhecidos neste verão, lembram-nos que os problemas financeiros da Zona Euro não estão, de forma alguma, resolvidos. Há, sem dúvida, factores idiossincráticos por trás dos problemas do banco, resultantes da sua exposição a outras partes do império da família Espírito Santo. Mas quando o banco anunciou prejuízos de 3,6 mil milhões de euros no primeiro semestre, o colapso repentino da confiança foi alarmante, e os investidores nervosos começaram a questionar se existiriam outras bombas-relógio semelhantes noutros lugares.
29 de Agosto | Jean Pisani-Ferry
Jean Pisani-Ferry : O investimento pode salvar a Europa?
O crescimento económico na Europa continua a desiludir. Espera-se que todos os Estados-membros da União Europeia apresentem melhores resultados em 2014; porém, de acordo com as últimas projecções do Fundo Monetário Internacional, o crescimento médio na Zona Euro mal vai exceder 1%. E apesar de a economia britânica estar a mostrar um ímpeto forte, só agora é que o PIB ultrapassou os valores anteriores à crise. Per capita, a UE ainda está mais pobre do que estava há sete anos.
29 de Agosto | Andrew Sheng
Andrew Sheng  : A futura guerra de classes
O estratega militar alemão do século XVIII Carl von Clausewitz definiu a guerra como a continuação da política por meios diferentes e, tal como o antigo estratega chinês Sun Tzu, acreditava que assegurar a paz significava preparar-se para um conflito violento. À medida que o mundo se torna cada vez mais tumultuoso – uma realidade evidente no renascimento da luta militar na Ucrânia, no caos no Oriente Médio, e nas crescentes tensões no leste da Ásia - tal pensamento não poderia ser mais pertinente.
28 de Agosto | Bjørn Lomborg
Bjørn Lomborg : O ambiente da pobreza
Apesar do aumento da esperança de vida e do acesso à educação e da diminuição das taxas de pobreza e de fome, o mundo tem ainda um longo caminho a percorrer para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Cerca de mil milhões de pessoas continuam a ir para a cama com fome, 1,2 mil milhões vivem em pobreza extrema, 2,6 mil milhões não tem acesso a água potável e saneamento e quase três mil milhões queimam materiais perigosos dentro das suas casas para se manterem quentes.
Karl-Theodor zu Guttenberg e Richard A. Werner : Como é feito o dinheiro
No mês passado, os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) anunciaram a criação do seu próprio banco de desenvolvimento, que visa reduzir a sua dependência do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional, dominados pelo Ocidente e focados no dólar. Para estas economias, será vantajosa a maior influência e flexibilidade das suas políticas monetárias. No entanto, não devem ignorar as valiosas lições oferecidas pelas recentes inovações, em termos de política monetária, dos bancos centrais dos países avançados.
25 de Agosto | Lee Jong-Wha
Lee Jong-Wha : O sonho chinês da Índia
Nos últimos anos, a China e a Índia emergiram como super-potências da economia mundial, com a China a assumir a liderança. No entanto, perante a desaceleração do crescimento chinês e a necessidade cada vez mais aguda de alterações estruturais, será que os esforços da reforma económica do novo primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, vão permitir que o país recupere o atraso?
25 de Agosto | Yu Yongding
Yu Yongding : O incêndio da China fica para a próxima
No início deste ano, os rumores de um desastre financeiro iminente na China – provocado por um colapso do mercado imobiliário ou pelo incumprimento dos governos locais – pareciam não ter fim. Porém, nos últimos meses, a economia estabilizou, praticamente acabando com as dúvidas sobre a capacidade de a China crescer mais de 7% este ano.
21 de Agosto | Bjørn Lomborg
Bjørn Lomborg : Ventos de vaidade
Copenhaga, capital da Dinamarca, quer ser a primeira cidade do mundo sem emissões de CO2, em 2025. No entanto, como muitas outras cidades e países bem-intencionados descobriram, reduzir significativamente as emissões de CO2 é muito mais difícil do que parece, e pode exigir alguma contabilidade criativa.
21 de Agosto | Jeffrey D. Sachs
Jeffrey D. Sachs : Os limites das negociações climáticas
Se o mundo quer resolver a crise das alterações climáticas, vamos precisar de uma nova abordagem. Actualmente, as grandes potências vêem as mudanças climáticas como uma negociação sobre quem irá reduzir as suas emissões de CO2 (principalmente devido ao uso de carvão, petróleo e gás).
19 de Agosto | Carlo Ratti
Carlo Ratti  : A vida na cidade de Uber
Mais oui! Como qualquer estudante francês do quinto ano sabe, a internet foi inventada em Paris. Era chamada de minitel, uma abreviação para Médium interactif par numérisation d’information téléphonique, e era uma rede de quase nove milhões de terminais que permitia às pessoas e organizações conectarem-se entre si e trocar informações em tempo real.
19 de Agosto | Minghao Zhao
Minghao Zhao : A marcha árabe da China
O crescente derramamento de sangue no Iraque e na Síria está a ser acompanhado tão de perto na China como em qualquer outra parte do mundo. De facto, o Médio Oriente está a tornar-se cada vez mais um foco da política externa chinesa.
19 de Agosto | Adair Turner
Adair Turner : O grande erro sobre o crédito
Antes da erupção da crise financeira em 2008, o crédito privado na maioria das economias desenvolvidas cresceu mais rapidamente do que o produto interno bruto (PIB). Depois o crescimento do crédito colapsou.
18 de Agosto | He Jiankun
He Jiankun  : O compromisso climático da China
Alguns podem considerá-lo um desenvolvimento inesperado, mas a China – actualmente o maior emissor mundial de dióxido de carbono – está a emergir como um líder mundial em matéria de política climática na sua tentativa de criar uma economia mais limpa e mais eficiente.
18 de Agosto | Anders Levermann
Anders Levermann  : O ponto sem retorno da Antártida
As observações por satélite realizadas recentemente confirmaram a precisão de duas simulações de computador independentes que demonstram que a camada de gelo da Antártida ocidental entrou num estado de colapso imparável. O planeta começou uma nova era de consequências irreversíveis relacionadas com as alterações climáticas. O que nos resta saber é se ainda poderemos fazer o suficiente para evitar que aconteça noutros locais.
18 de Agosto | Stephen Roach
Stephen  Roach : Repensar o relacionamento sino-americano
Em inícios de Julho, dirigentes norte-americanos e chineses reuniram-se em Pequim para o sexto Diáologo Estratégico e Económico. Com as fricções bilaterais a intensificarem-se em inúmeras frentes – incluindo a cibersegurança, as disputas territoriais nos Mares do Oriente e do Sul da China, e a política cambial – esta cimeira constituiu uma oportunidade para uma séria reconsideração do relacionamento entre as duas mais poderosas potências do mundo.
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • Vladimir Putin pode beneficiar (ou não) de 80% de apoio popular na Rússia devido à sua política na Ucrânia; mas torna-se cada vez mais claro que está a perder o controlo da situação. A pergunta é: em que ponto é que a sua posição, enquanto Presidente, se tornará insustentável?
  • Os problemas do português Banco Espírito Santo, conhecidos neste verão, lembram-nos que os problemas financeiros da Zona Euro não estão, de forma alguma, resolvidos. Há, sem dúvida, factores idiossincráticos por trás dos problemas do banco, resultantes da sua exposição a outras partes do império da família Espírito Santo. Mas quando o banco anunciou prejuízos de 3,6 mil milhões de euros no primeiro semestre, o colapso repentino da confiança foi alarmante, e os investidores nervosos começaram a questionar se existiriam outras bombas-relógio semelhantes noutros lugares.
  • O crescimento económico na Europa continua a desiludir. Espera-se que todos os Estados-membros da União Europeia apresentem melhores resultados em 2014; porém, de acordo com as últimas projecções do Fundo Monetário Internacional, o crescimento médio na Zona Euro mal vai exceder 1%. E apesar de a economia britânica estar a mostrar um ímpeto forte, só agora é que o PIB ultrapassou os valores anteriores à crise. Per capita, a UE ainda está mais pobre do que estava há sete anos.
  • O estratega militar alemão do século XVIII Carl von Clausewitz definiu a guerra como a continuação da política por meios diferentes e, tal como o antigo estratega chinês Sun Tzu, acreditava que assegurar a paz significava preparar-se para um conflito violento. À medida que o mundo se torna cada vez mais tumultuoso – uma realidade evidente no renascimento da luta militar na Ucrânia, no caos no Oriente Médio, e nas crescentes tensões no leste da Ásia - tal pensamento não poderia ser mais pertinente.
  • Apesar do aumento da esperança de vida e do acesso à educação e da diminuição das taxas de pobreza e de fome, o mundo tem ainda um longo caminho a percorrer para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Cerca de mil milhões de pessoas continuam a ir para a cama com fome, 1,2 mil milhões vivem em pobreza extrema, 2,6 mil milhões não tem acesso a água potável e saneamento e quase três mil milhões queimam materiais perigosos dentro das suas casas para se manterem quentes.
18 de Agosto | Andrew Sheng
Andrew Sheng  : Explorar o filão competitivo da China
O Conselho de Estado da China divulgou recentemente um plano exaustivo para a reforma do mercado de capitais até 2020, no qual identifica dois objectivos-chave: "apoiar os processos de mercado justos, abertos e integrais, e proteger os investidores, particularmente os direitos jurídicos dos pequenos investidores".
12 de Agosto | Jeffrey D. Sachs
Jeffrey D. Sachs : O desperdício da guerra
Karl Marx disse, certa vez, numa frase que se tornou famosa, que a História se repete, "a primeira vez como tragédia, a segunda como farsa". No entanto, quando olhamos actualmente à nossa volta, não conseguimos deixar de nos perguntar se depois de uma tragédia não nos aguardará uma outra.
12 de Agosto | Ashoka Mody
Ashoka Mody  : O dia sem fim da economia mundial
No filme "Groundhog Day" [traduzido em Portugal como "Feitiço do Tempo"], um repórter televisivo que faz a previsão do tempo, personagem desempenhada pelo actor Bill Murray, acorda todas as manhãs às 6h da manhã para voltar a viver o mesmo dia. Uma semelhante sensação de "déjà vu" invadiu as projecções económicas desde que a crise económica mundial começou, há meia década.
pub
pub