Cronista
André Veríssimo Jornalista

André Veríssimo é director do Negócios desde Novembro de 2017, tendo iniciado funções na direcção em 2013. Antes foi editor de Mercados Financeiros durante seis anos. Licenciado em Comunicação Social pela Universidade Católica, foi jornalista de Internacional e Economia na revista Focus. Antes de se juntar à equipa do Negócios esteve três anos no Semanário Económico, onde foi editor. Recebeu por duas vezes o prémio de jornalismo económico do Santander Totta/ Universidade Nova de Lisboa na categoria de Mercados Financeiros. Nasceu em 1976 e vive em Lisboa.

André Veríssimo Habitação: resolver sem estragar 19.09.2018 André Veríssimo
Comprar casa no centro de Lisboa dificilmente voltará a ser acessível para a classe média. Haverá excepções induzidas por políticas públicas, mas aquela será a regra. O motivo é simples: se há procura por habitação a seis, oito ou dez mil euros o metro quadrado, ninguém vai querer construir ou reabilitar para vender a dois ou a três mil euros.
André Veríssimo Rui Rio “cheiinho” de si 16.09.2018 André Veríssimo 51
O líder de um grande partido não sobrevive sem o partido. Rui Rio parece achar que sim. A menos que mude de rota, o PSD e o seu líder caminham para o naufrágio.
André Veríssimo Existo, logo taxo 11.09.2018 André Veríssimo 21
O Bloco de Esquerda quis com o anúncio vago de uma taxa sobre a especulação imobiliária endireitar a espinha do seu discurso político sobre esta matéria, dobrada depois do caso Robles. Saiu-se mal, com o PS e o primeiro-ministro a cortarem a ideia pela raiz, em mais um episódio de tensão com Catarina Martins.
André Veríssimo Carta ao leitor 09.09.2018 André Veríssimo 38
Os media não podem ter um monopólio para espalhar a palavra, mas só eles podem assegurar que ela é confiável, porque a sua razão de existir está nesse contrato de confiança com o leitor, o ouvinte, o espectador.
André Veríssimo Riscos emergentes 05.09.2018 André Veríssimo
Os investidores estão a debandar dos mercados emergentes. A questão maior, porque é humano olhar para o nosso umbigo, está em saber se este tumulto vai contagiar os países desenvolvidos. A queda acelerada das moedas e bolsas dos países emergentes tem razões de conjuntura, que se prendem com o fim da era do dinheiro ultrabarato.
André Veríssimo Eleitoralismo à solta 04.09.2018 André Veríssimo
Quantos acharão mal que o IVA da electricidade baixe para a taxa mínima, que os passes dos transportes públicos sejam bastante mais baratos ou que as pensões aumentem? Provavelmente tantos quantos os que levam a mal que se dê um desconto no IRS aos emigrantes que queiram voltar ao país e à família ou que se invista mais na saúde e na educação. Não há dúvidas quanto ao potencial destas medidas para seduzir o eleitor.
André Veríssimo Imobiliário: é tempo de vender ou comprar? 03.09.2018 André Veríssimo 65
Quando o presidente da câmara de uma cidade vem dizer que há uma bolha no imobiliário, isso deveria ser motivo para alarme. Não foi esse o efeito das palavras de Fernando Medina sobre Lisboa, mas devia dar que pensar.
André Veríssimo A justa causa da Madeira 30.08.2018 André Veríssimo
A Região Autónoma da Madeira está em guerra aberta com as Finanças por causa do juro que o Governo lhe cobra pela ajuda financeira que recebeu do Estado. Pelos elementos que se conhecem, com justa causa. Tal como a República, também a Região Autónoma da Madeira teve de pedir um plano de assistência financeira, neste caso junto do Estado português.
André Veríssimo Antes com desconto do que sem ele 28.08.2018 André Veríssimo
O que o primeiro-ministro julgou ser uma medida popular revelou-se afinal mais uma frente de contestação. A redução do IRS para os emigrantes que regressem ao país desagradou à oposição, aos parceiros da esquerda, a quem vê nela uma discriminação inaceitável e até aos próprios visados pela medida. Teve de vir o Presidente dar uma mãozinha, aplaudindo-a.
André Veríssimo O colapso do socialismo mágico 22.08.2018 André Veríssimo 40
Um só homem pode destruir um país. A História está cheia dessas páginas negras. O presente também as tem: a_Venezuela de Nicolás Maduro é todo um livro. O país sul-americano está em dissolução e os venezuelanos são um povo em agonia, votado a um empobrecimento galopante, fruto de uma hiperinflação que pode este ano chegar a uns inimagináveis 1.000.000%.