Cronista
Celso Filipe Jornalista

Nasceu em 1964 e é actualmente subdirector do Jornal de Negócios. Frequentou o 4º ano do curso de Comunicação Social da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Começou a actividade como jornalista em 1986 na revista “África Hoje”, tendo depois transitado para a “África Confidencial”, uma publicação de circulação reservada a assinantes. Como jornalista passou depois pelos semanários “Tempo”, “Semanário” e “Expresso”. Entre 1995 e 2005 esteve no “Diário Económico” onde desempenhou as funções de editor e chefe de redacção. Entre 1998 e 1999 colaborou na Rádio Renascença com um comentário semanal sobre assuntos económicos. Em 2006 entrou no Jornal de Negócios como editor da secção de empresas.

Celso Filipe O que ainda é excessivo 22.05.2017 Celso Filipe
Este clima de desanuviamento económico e social que o país atravessa é propício para fazer mudanças capazes de tornar o país mais competitivo. Se este Governo se limitar a fruir este presente, é certo e sabido que o futuro será sombrio. Por isso, esta é a hora de António Costa escolher o seu caminho.
Celso Filipe O bom é nosso, o mau é deles 16.05.2017 Celso Filipe 35
A política é fértil em tartufices. Esta segunda-feira, depois de ter sido conhecido o crescimento do PIB no primeiro trimestre, a deputada do PSD Inês Domingos foi a tartufo de serviço ao declarar: "Estamos contentes com a recuperação do PIB neste trimestre que se deve às reformas realizadas pelo anterior Governo, à conjuntura internacional e na União Europeia mais favoráveis."
Celso Filipe A pobreza das nações 08.05.2017 Celso Filipe 20
A vitória de Macron nas presidenciais francesas é muito mais do que uma injecção de calma para quem receia os extremismos. É sobretudo um desassossego para os actuais sistemas de representação política.
Celso Filipe O diabo está no "rating" 03.05.2017 Celso Filipe 41
problema não é mudar de opinião, mas sim emitir opiniões destemperadas que colocam quem as produz à mercê dos supostos alvos. Costa, que mandou as agências de "rating" para o inferno, está agora condenado a fazer um pacto com o diabo e a submeter-se às suas regras.
Celso Filipe Trump, o prolixo 28.04.2017 Celso Filipe
Entre a meia-noite e as 17h00 de ontem, Donald Trump publicou 13 mensagens no Twitter, ora revelando telefonemas mantidos com os Presidentes do Canadá e do México para renegociar os acordos comerciais, ora acusando o Partido Democrata de vários desmandos, tais como o de colocar em risco a segurança dos militares norte-americanos.
Celso Filipe May(be)* 19.04.2017 Celso Filipe
A primeira-ministra inglesa surpreendeu, ao pedir a marcação de eleições antecipadas no Reino Unido para 8 de Junho. Com o seu partido, os Conservadores, confortavelmente instalados nas sondagens, Theresa May considerou este o melhor momento para reforçar o seu poder através do voto. May tem argumentos atendíveis para justificar esta opção.
Celso Filipe A economia e a TV da sala 17.04.2017 Celso Filipe
Em 1995, no primeiro Governo de António Guterres, a participação de um jornalista de economia numa visita ao estrangeiro do primeiro-ministro, era uma bizarria.
Celso Filipe O plano A acabou no C 12.04.2017 Celso Filipe 40
Facto. Portugal fechou 2016 com um défice de 2,1% que pode até baixar para 2%. Polémica. O caminho escolhido para lá chegar. O Governo começou 2016 a dizer que ia atingir a meta do défice definida por Bruxelas, 2,5%, alicerçado num aumento do consumo e no crescimento da economia de 1,8% que mais tarde reviu em baixa.
Celso Filipe A desconstrução europeia 10.04.2017 Celso Filipe
Jeroen Dijsselbloem foi infeliz ao declarar que os países do Sul gastam o dinheiro em bebida e mulheres. Foi infeliz e inverdadeiro, facto que pode ser verificável nas estatísticas.
Celso Filipe A greve como prova de vida 06.04.2017 Celso Filipe 21
A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) marcou uma greve nacional da Função Pública para 26 de Maio. A paralisação destina-se a reivindicar aumentos salariais e as 35 horas de trabalho semanais, mas não restam dúvidas de que ela irá cumprir outro objectivo, o de se constituir como uma prova de vida, tanto para a CGTP como para o PCP.