Cronista
Celso Filipe Jornalista

Nasceu em 1964 e é actualmente director-adjunto do Jornal de Negócios. Frequentou o 4.º ano do curso de Comunicação Social da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Começou a actividade como jornalista em 1986 na revista “África Hoje”, tendo depois transitado para a “África Confidencial”, uma publicação de circulação reservada a assinantes. Como jornalista passou depois pelos semanários “Tempo”, “Semanário” e “Expresso”. Entre 1995 e 2005 esteve no “Diário Económico” onde desempenhou as funções de editor e chefe de redacção. Entre 1998 e 1999 colaborou na Rádio Renascença com um comentário semanal sobre assuntos económicos. Em 2006 entrou no Jornal de Negócios como editor da secção de empresas.

Celso Filipe O Fizz será um gelado? 22.01.2018 Celso Filipe
O julgamento da chamada Operação Fizz começou ontem e cumpriu-se o esperado. O tribunal resolveu separar o processo do ex-vice-presidente da República de Angola, Manuel Vicente.
Celso Filipe Sem pio 17.01.2018 Celso Filipe
Afinal quem foi o pai da ideia da entrada da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) na Caixa Económica Montepio? Na quarta-feira, o ministro do Trabalho e Segurança Social rejeitou a paternidade da sugestão. “O Governo nunca empurrou a Santa Casa para coisa nenhuma”, declarou Vieira da Silva no Parlamento.
Celso Filipe Levar a carta a Garcia 16.01.2018 Celso Filipe
Os CTT têm andado em bolandas e tudo aponta para que assim continuem. Ontem, foi a vez de o BPI colocar pressão adicional ao baixar a avaliação da empresa em 10% devido às novas metas de serviço público traçadas pelo regulador do sector, embora continue a recomendar a compra de acções, considerando que as mesmas têm um potencial de subida.
Celso Filipe O elogio a Fernando 11.01.2018 Celso Filipe 34
Ao fim de 17 anos, Fernando Pinto diz adeus à liderança da TAP. O gestor brasileiro sai pela porta grande e terá um lugar de destaque reservado na companhia aérea nacional. Pelas boas razões.
Celso Filipe Angola e o único que vale pelo todo 08.01.2018 Celso Filipe 21
Em Novembro do ano passado, António Costa garantia, após um encontro com o Presidente de Angola, em Abidjan, capital da Costa do Marfim, que o “único irritante” nas relações bilaterais era o caso Manuel Vicente, “um tema da exclusiva responsabilidade das autoridades judiciárias portuguesas”.
Celso Filipe Bem prega Frei Tomás 07.01.2018 Celso Filipe
O Governo impôs as quotas de género nas empresas públicas e nas cotadas mas falhou o prazo para as definir nas administrações e nas universidades. Ou seja, exige mas falha em compromissos onde devia dar o exemplo.
Celso Filipe Reinvenção e invenções 02.01.2018 Celso Filipe
A mensagem de Ano Novo de Marcelo Rebelo de Sousa foi curta e dicotómica. O ano de 2017 correu bem do ponto de vista económico (e não só) e foi terrível devido aos incêndios que vitimaram mais de 100 pessoas. O Presidente da República massajou o ego nacional e avisou que tragédias como as de Pedrógão Grande não se podem repetir.
Celso Filipe A credibilidade por um canudo 28.12.2017 Celso Filipe 37
A credibilidade é um activo valioso. E foi este activo que os deputados do PS, PSD, PCP, Bloco de Esquerda e PEV desbarataram ao aprovarem à sorrelfa as alterações à lei do financiamento dos partidos.
Celso Filipe Marcelo, o bom inquietador 26.12.2017 Celso Filipe 23
Marcelo Rebelo de Sousa tem superado todas as expectativas enquanto Presidente da República. A melhor prova disso é a forma como inquieta os poderes instalados na sociedade portuguesa, ainda portadores de uma visão bafienta da sociedade.
Celso Filipe Dupla derrota na Catalunha 20.12.2017 Celso Filipe
As eleições são a pedra basilar da democracia representativa. Reflectem as escolhas de uma sociedade e o caminho que a maioria considera ser o mais acertado, mas também deixa espaço para que as minorias possam fazer ouvir a sua voz. O acto eleitoral que esta quinta-feira se realiza na Catalunha enquadra-se nesta visão do mundo político mas não irá trazer a tranquilidade à região. Antes pelo contrário.