Celso  Filipe
Celso Filipe 13 de fevereiro de 2018 às 23:00

Costa e os tabus que não o são

António Costa é um político astuto e seráfico. Estas são duas das características que lhe têm permitido garantir a sustentabilidade da geringonça e sonhar com a possibilidade de uma maioria absoluta nas eleições legislativas de 2019.

António Costa não se deixa ludibriar pelo imprevisto e por isso não deve ser visto como uma mera conversa de circunstância o facto de ter afirmado, numa entrevista ao jornal espanhol ABC, que o TGV (comboio de alta velocidade) e o novo aeroporto são temas tabus em Portugal. Até porque a catalogação destes temas como tabu é acompanhada de lamentos.

Sobre o TGV: "A alta velocidade é um tema tabu na política portuguesa e vai sê-lo por muito tempo." Mas "um dia" será necessário olhar para o TGV que está a crescer na maior parte da Península Ibérica e na qual Portugal "estará de fora".

Sobre o novo aeroporto: "Infelizmente" houve um tempo em que o grande tema de diferenciação política entre esquerda e direita era o investimento público em infra-estruturas, como a construção de um novo aeroporto na capital portuguesa. "Também perdemos a oportunidade de fazer um novo aeroporto."

Quanto ao TGV, António Costa sabe-o, não foi apenas um objectivo político do Governo socialista de José Sócrates. Esteve também na agenda dos governos social-democratas de Durão Barroso e Santana Lopes. A estratégia do primeiro-ministro é simples. Aparentemente fecha esta porta, quando na realidade a está a abrir, de forma a testar a nova liderança do PSD que está a chegar e também o objectivo já confessado de obter um consenso alargado em matéria de investimento público, particularmente depois das eleições do próximo ano.

"Nos programas [comunitários] pós-2020 temos de ter uma validação de votação mínima por dois terços na Assembleia da República, de forma a assegurar a estabilidade política de investimentos" dos grandes projectos, afirmou António Costa em Março do ano passado, ocasião em que lastimou os sucessivos protelamentos de uma decisão sobre o novo aeroporto de Lisboa.

No que toca ao novo aeroporto de Lisboa, a situação é mais peculiar. Por ora prevalece a ideia de que se irá avançar com um aeroporto complementar no Montijo, mas a possibilidade de recuperar o projecto de Alcochete não é de todo uma impossibilidade, exigindo sim negociações entre o Estado e os franceses da Vinci, concessionários da ANA. António Costa falou destes tabus apenas porque deseja que eles voltem a estar na ordem do dia. Quem sabe, a começar pelo novo aeroporto de Lisboa. É esperar para ver. 
A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
fernandolucas Há 1 semana

Aqui está uma leitura inteligente da entrevista de António Costa, de Celso Filipe e que me parece muito certeira nas suas interrogações.

pub